Bitcoin sobe mais de 2% após inflação dos EUA vir abaixo do esperado

Desaceleração do CPI fortalece os mercados de renda variável como o de criptomoedas, na medida que aumenta as chances de que o Fed, o banco central dos EUA, comece a reduzir os juros este ano

O bitcoin (BTC) opera em alta nesta quinta-feira (11) após a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos Estados Unidos, que caiu 0,1% em junho na comparação com maio. A expectativa mediana dos economistas era de uma alta de 0,1%.

A desaceleração do indicador inflacionário fortalece os mercados de renda variável como o de criptomoedas, na medida que aumenta as chances de que o Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA, comece a reduzir os juros este ano, reduzindo a rentabilidade dos títulos do Tesouro americano e aumentando a liquidez para bancos e grandes investidores.

O núcleo da inflação também ficou abaixo do esperado, crescendo 0,1%, contra projeções de um avanço de 0,2%. Na base anual, a inflação americana está em 3%, enquanto a meta do Fed é de 2% ao ano.

Entre os ETFs de bitcoin à vista que operam nas bolsas americanas, ontem foi registrado um saldo líquido positivo de US$ 147,4 milhões. O principal responsável pelos fluxos de entrada foi o FBTC, da Fidelity, com US$ 57,8 milhões de excesso de compras de cotas em relação às vendas. Em segundo lugar ficou o EZBC, da Franklin Templeton, que teve US$ 31,7 milhões de saldo positivo.

Perto das 9h44 (horário de Brasília) o bitcoin sobe 2,1% em 24 horas, cotado a US$ 59.116 e o ether, moeda digital da rede Ethereum, tem alta de 3,5% a US$ 3.192, conforme dados do CoinGecko.

O valor de mercado somado de todas as criptomoedas do mundo é de US$ 2,29 trilhões. Em reais, o bitcoin apresenta valorização de 2,22% a R$ 320.315, enquanto o ether avança 3,11% a R$ 17.254 de acordo com valores fornecidos pelo MB.

Entre as altcoins (as criptomoedas que não são o bitcoin), a solana (SOL) tem alta de 2,6% a US$ 144,75, o BNB (token da Binance Smart Chain) registra ganhos de 2,5% a US$ 537,67 e a avalanche (AVAX) recua 1,4% a US$ 26,22.

Segundo Beto Fernandes, analista da Foxbit, mesmo com o dado positivo, há poucas chances do Fed realizar qualquer corte de juros na reunião de julho. “As apostas estão todas para setembro. Aí sim poderemos ver um mercado mais animado ao risco”, afirma.

Para Fernandes, até lá, há uma forte pressão de vendas de bitcoin não só da exchange Mt. Gox, que começou a devolver os BTCs roubados de seus clientes em um ataque hacker de 2014, mas também de mais 6 mil unidades da criptomoeda vendidas pelo governo alemão.

Do lado político, o candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, discursará por 30 minutos em uma conferência sobre bitcoin em Nashville, no Tennessee, no dia 27 de julho, segundo informações do site “Coindesk”. O evento é mais um aceno de Trump ao mercado, indicando que ele tomará uma postura pró-cripto caso seja eleito.

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir