Reinvestir: isso é fundamental se o seu objetivo é a renda passiva

Saiba por que os juros compostos estão entre os grandes aliados para quem sonha em viver de renda

Algo que todos sonham é conquistar renda passiva e a própria liberdade financeira. Poder viver como deseja e sem se preocupar em como pagar as despesas do dia a dia e ainda poder fazer as outras coisas boas que a vida proporciona. Como viajar, comprar presentes, poder praticar o lazer que gosta. Enfim, gozar da vida como se deseja e, importante, como é planejada.

Obviamente o significado e a medida do que é liberdade financeira não é única para todos. Alguém tendo um carro velho, vivendo numa casa pequena, mas se isso está de acordo com o que havia planejado e se tem dinheiro poupado o suficiente para manter o padrão de vida desejado, essa pessoa pode considerar que conquistou o seu grau de liberdade.

Não é uma questão de riqueza. É uma questão de grau de bem-estar desejado e conquistado.

Essa é uma perspectiva importante para todas as pessoas. Mas particularmente para quem está preocupado com a aposentadoria. Melhor dizendo, quem está num novo estágio de vida e não etário.

Hoje, o conceito de aposentadoria ganha novas cores. As pessoas não se veem mais se aposentando como um período de final de vida. Sim, como um novo momento, fora do ambiente de trabalho, dedicado a gozar a vida como se deseja.

Acumular riqueza

Há um potencial erro no pensamento das pessoas em relação a construção da liberdade financeira e, como destacado, principalmente na aposentadoria.

De maneira geral, as pessoas pensam que para conquistar essa sonhada liberdade deve-se somente buscar acumular recursos. Em outros termos, que se deve juntar muito dinheiro e depois ir gastando. Mas, a parte importante mesmo é ter renda.

Ter renda é como água, nós não podemos viver sem ela.

Obviamente acumular certo grau de riqueza é necessário, mas somente isso não basta. Ter estoque de recursos, significa ter uma poupança que é finita ou que sofra perda de poder de compra não traz independência financeira

Todos nós sabemos de exemplos de celebridades que acumularam fortunas, mas acabaram enfrentando problemas financeiros devido a uma combinação de má administração, gastos extravagantes, investimentos ruins e outras circunstâncias. Só para citar os mais conhecidos:

Michael Jackson

Ganhou centenas de milhões de dólares ao longo de sua carreira. Contudo, devido a seu estilo de vida luxuoso, despesas legais e maus investimentos, antes de sua morte em 2009, ele estava com uma dívida de cerca de US$ 500 milhões.

Nicolas Cage

Ao longo da careira acumulou milhões de dólares. Porém, gastou grande parte dessa fortuna em propriedades imobiliárias, carros de luxo, entre outras coisas.

Leia a seguir

Leia a seguir

Mike Tyson:

Ganhou mais de US$ 300 milhões durante sua carreira no boxe. No entanto, gastou muito com mansões, carros, festas e outros luxos. Em 2003, declarou falência com uma dívida de US$23 milhões.

Construção da renda passiva

Estes e outros nomes são exemplos que mostram que a riqueza acumulada pode ser rapidamente dissipada. Basta uma má gestão financeira.

Gastos excessivos e desatenção com os investimentos é uma combinação terrível para a saúde financeira das pessoas. Tal como se diz: dinheiro não leva desaforo.

Não manter um planejamento financeiro bem estruturado de acordo com os objetivos de vida pode levar a um desiquilíbrio fatal. Ou, no mínimo, a um baixo nível de bem-estar financeiro.

A conquista de liberdade financeira é ter renda. Dito de outra forma, ter um fluxo de caixa confiável que permita pagar as contas e viver bem.

Para isso o que temos que buscar é garantir que o volume de recursos acumulados traga uma renda passiva que nos permita ter a vida que planejamos. Colocar o dinheiro para trabalhar para nós.

Reinvestir é preciso

É muito comum as pessoas acreditarem que têm sucesso financeiro considerando os saldos dos investimentos e taxas de retorno obtidas, de maneira estanque, como se estivessem medindo o volume de uma piscina. Entretanto, não avaliam se esses recursos estão cumprindo o seu objetivo que é gerar a renda desejada quando for necessária.

Possuir um grande volume de dinheiro acumulado pode trazer a sensação de segurança financeira. Mas não necessariamente permite a liberdade financeira.

Qualquer pessoa precisa definir o que significa ter esse estágio de liberdade financeira, como já dito. Principalmente quando pensamos na nossa vida como aposentados. O quanto antes a pessoa começar a organizar-se para a isso será melhor e mais fácil.

Todo esse planejamento começa com uma pergunta: “Como eu quero viver quando estiver nessa fase?”. Com a resposta a essa questão é possível calcular quanto será preciso juntar para realizar esse plano e como investir de forma a gerar a renda desejada.

A fonte de renda passiva é aquela em que você não precisa fazer nada para gerá-la, pode incluir benefícios da aposentadoria, juros de aplicações, previdência privada, Tesouro Renda+, pensões, royalties, aluguéis de imóveis, dividendos de ações, proventos de fundos imobiliários.

Uma boa pergunta para testar se você está no caminho certo é “Quanta renda eu tenho agora que não preciso trabalhar para receber?”.

Construa a sua carteira de investimento com esse perfil.

A importância dos juros compostos

Na fase de execução desse plano dedicado a obtenção da liberdade financeira é o reinvestimento dos rendimentos gerados pelos seus investimentos. O fruto do dinheiro aplicado gera novos frutos e assim vai sendo conquistado o volume de recursos desejados.

Muita gente perde a noção da força do rendimento de nossos investimentos, acabam esquecendo que os juros incidem sobre os juros passados, o denominado “juro composto” – juros sobre juros.

Veja no gráfico abaixo o que acontece quando alguém investe dinheiro com rendimento de 1% de juros ao mês. O quanto será o ganho bruto obtido da reaplicação, em outros termos, caso de aplicação que o dinheiro é reinvestido automaticamente.

Por exemplo, uma pessoa que investir R$ 100 e deixar rendendo com esse juro (1%) por cinco anos obterá ao final do período R$ 181,67, rendimento de 82%. Em 10 anos o rendimento é de 230%, com o valor de R$ 330,04.

Achou pouco?

Pense se você aplicasse R$ 100 por mês, o valor final em 10 anos seria R$ 23.003,87. E se você aplicasse R$ 1.000 por mês, no final do período o valor seria R$ 230.038,70.

Efeito de juros compostos: Fonte: Fabio Gallo

Ganhos reais

Muitas pessoas acreditam que para investir basta ter dinheiro, mas isto não é tão fácil assim. Existem circunstâncias e problemas à frente. Por exemplo, a inflação.

Este monstrinho que come parte do seu rendimento real. Assim, você precisa ficar atento e saber como lidar com a situação. Sempre acompanhado os rendimentos obtidos comparando-os com a inflação e com outros índices de mercado como a curva do CDI.

CDI é uma sigla que significa Certificado de Depósitos Interbancários que o título usado para troca de dinheiro entre bancos. Na prática, usamos a curva de rendimento do CDI como uma medida de ganhos oferecida pela renda fixa no Brasil.

Assim, quando a curva de rendimentos do nosso dinheiro estiver acima do CDI significa que estamos tendo um desempenho melhor que o mercado e estamos no caminho certo.

Faça o dinheiro trabalhar para você

Algo essencial é ter paciência nos investimentos. Investir com paciência significa ter a capacidade de esperar e manter uma visão de longo prazo em relação aos seus investimentos, em vez de buscar retornos rápidos ou reações impulsivas a flutuações do mercado. Deixe o seu dinheiro trabalhar para você.

Ser paciente nos investimentos significa não ficar desesperado com a volatilidade do mercado. Ter em mente que a sua busca é o crescimento de longo prazo, não entrar em pânico em momentos de crise e cair no efeito manada – momento que todos perdem.

Então, observar essas condições permite que sejam tomadas decisões mais ponderadas. Inclusive reduzindo custos da operação e permitindo melhor planejamento tributário.

Objetivos financeiros

A paciência, aliada um planejamento consistente e a disciplina, aumentam as chances de serem alcançados seus objetivos financeiros ao longo do tempo, como a renda passiva.

Um dos maiores exemplos de prática de paciência nos investimentos é de Warren Buffett, um dos investidores mais bem-sucedidos e respeitados do mundo. Buffett é conhecido por sua abordagem paciente e de longo prazo nos investimentos.

Falar sobre paciência temos que falar de Sêneca, o filósofo estoico romano, que escreveu várias frases impactantes sobre a paciência. Bem como a importância dessa virtude em nossas vidas.

Portanto, esse filósofo tem várias frases sobre a paciência. Vale lembramos de algumas:

1) “A paciência é a fortaleza do fraco e a impaciência, a fraqueza do forte.”

2) “A paciência é a melhor aliada do tempo; ela acaba por revelar tudo.”

3) “Não é por ter atingido rapidamente o seu fim que o que caminha depressa tem sucesso, mas por ter escolhido um bom caminho.”

4) “A paciência não é contrária à sabedoria.”

5) “Não é porque as coisas são difíceis que não nos atrevemos; é porque não nos atrevemos que as coisas são difíceis.”

6) “Aprenda a ser paciente, mas não tolere a indecisão.”