Viagem de Lula à China terá programa climático como foco, diz Amorim

Amorim disse que novo programa climático entre China e Brasil está no radar da viagem de Lula à China

O secretário especial da Presidência para assuntos internacionais, Celso Amorim, avalia que a pauta climática terá centralidade na viagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China, assim como investimentos, infraestrutura e governança global. O presidente da República embarca para o país asiático com uma comitiva robusta na última semana de março.

“A China ainda é talvez o maior emissor de CO2, mas ao mesmo tempo tem desenvolvido programas muito importantes porque sabe que isso é insustentável física e politicamente”, disse. “Acho que o clima vai ter um lugar importante nessas conversas com a China, mas também outros temas: investimentos, infraestrutura. Também vamos falar sobre governança global. É um país absolutamente fundamental, assim como os EUA.”

Viagem de Lula à China pode render programa climático

Perguntado sobre possíveis anúncios em parceria Brasil durante a viagem de Lula à China, Amorim deixou claro que haverá iniciativas. “Ainda não sei se vai se criar um fundo, um programa de metas, mas certamente haverá vários programas de impacto sobre o clima: energia renovável, monitoramento por satélite, mas qual será o dominante ainda está em discussão”, disse. O país asiático é o maior parceiro comercial do Brasil.

O ex-chanceler classificou a China como um ator fundamental na política mundial, algo reforçado nas negociações pela retomada da diplomacia entre Irã e Arábia Saudita.

Com a viagem à China, Lula terá prestigiado em três meses de governo os principais parceiros econômicos do país, já que também esteve recentemente nos Estados Unidos e na Argentina.

Amorim participou no Rio do lançamento do Climate Hub, parceria da Prefeitura carioca com a Universidade de Columbia. Com aporte de US$ 3 milhões do Executivo municipal, o projeto é um laboratório de estudos sobre as questões climáticas. O Rio é sede de um dos dez escritórios globais da universidade americana, estabelecido na cidade em outro mandato do atual prefeito, Eduardo Paes (PSD).

Antes de falar com a imprensa, Amorim discursou no evento e celebrou a retomada do Fundo Amazônia e as articulações para a criação de uma cúpula entre os países em que a floresta está inserida. “Antes, o meio ambiente e o clima eram mais um tema [da agenda diplomática], a política externa tinha que tratar de muitos assuntos. Hoje o clima é um tema central. Diria que minha presença aqui tem esse significado.”

Leia a seguir

Leia a seguir