‘Velho e frágil’: eleitores reconsideram voto após desempenho de Biden em debate

Pode-se levar meses para compreender todas as implicações políticas do debate, que já deu início a tensões no Partido Democrata e a discussões silenciosas sobre se Biden deveria liderar a chapa

Eleitores de estados que serão determinantes na decisão das eleições americanas estão a sentir um misto de frustração e preocupação após o primeiro debate presidencial das eleições de 2024, com alguns a concluir que o desempenho instável do presidente Joe Biden levantou sérias questões sobre se mandatário é capaz de cumprir outro mandato.

Em entrevistas, eleitores residentes em estados decisivos que ainda não estavam comprometidos com um candidato expressaram preocupação, em graus variados, com o desempenho do incumbente. Alguns disseram que vão esperar até o próximo debate para decidir.

Outros descartaram Biden completamente, argumentando que ele deve abdicar do pleito e permitir que outro democrata concorra à presidência em seu lugar. Mesmo aqueles que disseram que ainda planejavam votar em Biden acrescentaram que sua participação no debate os abalou.

Ao mesmo tempo, os eleitores também criticaram o ex-presidente Donald Trump, indicando que o ex-presidente não respondeu diretamente às perguntas dos moderadores do debate e se valeu de narrativas mentirosas.

Pode levar meses para compreender todas as implicações políticas do debate, que já deu início a tensões no Partido Democrata e a discussões silenciosas sobre se Biden deveria liderar a chapa. Até lá, confira algumas entrevistas com eleitores de estados divididos:

George Almodovar, médico oftalmologista republicano de 47 anos, residente de Atlanta, Geórgia, votou em Biden em 2020 e pensava em fazer o mesmo este ano, principalmente após a invasão do Capitólio em janeiro de 2021. Depois do debate, no entanto, está inclinado a votar Trump. “Ele [Joe Biden] passou uma semana se preparando”, disse. “Eu só esperava que ele soasse melhor, fosse um pouco mais claro.”

Almodóvar disse temer que um voto em Biden signifique um voto na vice-presidente Kamala Harris, de quem ele não gosta muito. Ele pensa que Harris se inclina para “o lado muito esquerdo” e disse que está “realmente assustado” com a possibilidade de ela “mover este país mais em direção ao socialismo”.

Lauren Floyd, contabilista republicana de 38 anos, residente do condado de Cobb, Geórgia, votou em Biden em 2020 e está inclinada a repetir o voto. Embora ela diga que nunca votaria em Trump, assistir o debate de quinta-feira lhe causou um “Transtorno de estresse pós-traumático imediato”.

“Biden realmente deixou a bola cair. Ele teve tantas oportunidades de responder e abordar as mentiras que Trump estava espalhando, e não conseguiu fazer isso”, diz. Floyd entrou no debate já desconfiada de Biden, devido à sua idade e à sua posição sobre a guerra em Gaza. Mas a noite passada, disse ela, foi “um sentimento totalmente diferente que nem sei como descrever”.

Vicent Langoehr, estudante universitário liberal de 22 anos, residente de Milwaukee, Wisconsin, votou no democrata em 2020 e vai repetir o voto. Não obstante, disse que “Biden parecia velho e frágil, especialmente no início”.

Ele achou que Biden melhorou à medida que o debate avançava, mas ainda assim teve um desempenho geral ruim. “Quanto a Trump, não entregou muito sobre políticas de governo e mais uma vez mostrou a sua falta de conhecimento e a sua visão infantil de questões complexas. E mentiu constantemente, como sempre”, disse Langoehr.

Apesar disso, Langoehr disse que planeja apoiar Biden em novembro, apesar de desejar que houvesse outro candidato que pudesse proporcionar um melhor contraste com Trump. “Isso não muda o fato de que ele foi um presidente melhor, é melhor para o país e tem pessoas melhores ao seu redor”, afirmou.

Marvin Shulman, médico oftalmologista aposentado de 77 anos, residente de West Bloomfield, Michigan, votou em Biden em 2020, mas tende a escolher Trump este ano. “Biden parecia um cervo sob os faróis”, disse Shulman, expressando dúvidas sobre a aptidão do presidente para o cargo. “Tenho 77 anos e sei como é alguns dias.”

Shulman disse que votaria em um democrata para presidente em novembro se encontrassem um candidato melhor. “Estou desapontado com Biden neste momento”, disse, acrescentando que deveria ter se afastado a tempo de os democratas realizarem uma primária competitiva. “Ele realmente parecia muito fraco.”

John Gray, vendedor de 30 anos, residente de Las Vegas, Nevada, votou no democrata na última eleição e provavelmente não votará este ano. “Biden simplesmente parecia muito velho e perdeu a linha de pensamento”, disse Gray. “Ele estava sempre olhando para baixo, fazendo caretas estranhas… Não quero ser preconceituoso, mas ele tinha uma aparência envelhecida.”

Gray disse que votou em Biden em 2020, mas não o faria novamente, mas não por causa do debate. Ele acha que Biden, como presidente, não lutou o suficiente por um salário mínimo mais alto, elementos do pacote Build Back Better – e discorda do apoio do presidente a Israel.

Ao mesmo tempo, Gray disse que não poderia votar em Trump e não achava que o ex-presidente se saiu bem no debate. “Acho que Trump realmente não respondeu às perguntas”, disse ele, mas considerou que o comportamento do ex-presidente foi mais calmo do que o esperado.

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir