Cotado para 2026, Tarcísio diz não ter interesse em discutir futuro político

Afilhado político de Jair Bolsonaro (PL), governador de São Paulo tornou-se um nome cotado para concorrer ao Planalto nas próximas eleições desde que o ex-presidente foi declarado inelegível pela Justiça Eleitoral

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), usou parte de seu discurso em homenagem à primeira-dama Cristiane Freitas para tentar afastar seu nome das negociações sobre as eleições presidenciais de 2026. Em cerimônia na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) nesta segunda-feira (17), o governador disse que não tem interesse em discutir sobre seu futuro agora.

“O pessoal me pergunta muito sobre futuro, virou moda agora, todo mundo quer saber o que a gente vai fazer. Eu respondo para vocês com toda sinceridade: não me importa, não me interessa”, afirmou.

Afilhado político de Jair Bolsonaro (PL), Tarcísio tornou-se um nome cotado para concorrer ao Planalto nas próximas eleições desde que o ex-presidente foi declarado inelegível pela Justiça Eleitoral. Outros políticos se colocam como opção para disputar o eleitorado bolsonarista, como o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União).

Em pesquisas eleitorais, Tarcísio costuma ser o mais lembrado pelos apoiadores do ex-presidente para disputar 2026. Mais recentemente, o governador fez diversos acenos ao eleitorado simpatizante de Bolsonaro, em especial ao evangélico, ao participar da Marcha para Jesus e sancionar o programa que cria as escolas cívico-militares no Estado. Na semana passada, ele promoveu um jantar em homenagem ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. A cerimônia atraiu nomes importantes do mercado financeiro e do meio empresarial.

O governador evita falar sobre seus passos em 2026, mas viu apoiadores mais próximos de Bolsonaro, a exemplo do pastor Silas Malafaia, vir a público se queixar de seu comportamento. “Lula preso, ninguém do PT falava que ele não ia ser candidato. A inelegibilidade de Bolsonaro é extremamente frágil, não acredito que o STF irá mantê-la. Não tem que se falar nada sobre quem vai substituir Bolsonaro. Ninguém vai. Quando é que você viu uma declaração do governador falando que é absurdo? Eu não vi Tarcísio falar isso”, afirmou o pastor ao jornal “O Globo”, no começo do mês.

Tarcísio está em seu primeiro mandato eletivo. No discurso desta segunda-feira na Alesp, ele lembrou de sua trajetória e mencionou que a ideia de disputar o governo paulista, em 2022, foi do então presidente. Ao dizer que não está interessado em discutir seu futuro, afirmou que o “glamour” de ser governador vai passar e que não tem problemas de voltar para onde veio. “Eu sei da onde a gente saiu e não me importo em nenhum momento de voltar da onde a gente veio. Eu sei que tudo isso aqui vai passar. Tudo isso aqui vai acabar. Os amigos de interesse irão embora”, afirmou.

A homenagem à sua esposa foi de autoria da deputada Dani Alonso (PL), da base aliada do governo. Cristiane Freitas é presidente do Fundo Social de São Paulo e recebeu Colar de Honra ao Mérito Legislativo por sua atuação no órgão.

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir