Banco do Brasil (BBAS3): Denísio Liberato é indicado à presidência da BB Asset

Ele será o primeiro negro a presidir a companha, que conta com R$ 1,4 trilhão em ativos sob gestão

O Banco do Brasil (BBAS3) informou que Denísio Liberato, atual diretor de Investimentos da Previ, recebeu indicação para presidir a BB Asset, gestora de investimentos do banco público. Dessa forma, será o primeiro negro a presidir a companhia, que é líder do setor no país.

Aliás, Liberato sucede Aroldo Medeiros, que estava à frente da gestora desde dezembro de 2020, era funcionário de carreira do BB e se aposentou.

A nomeação do novo presidente será submetida às instâncias de governança da gestora. Assim, até ser aprovado, Liberato continuará em seu cargo na Previ, que é o maior fundo de previdência privada do país, com posições acionárias em empresas como Vale e BRF.

O que é a BB Asset

A BB Asset é a maior gestora de recursos do país, com R$ 1,4 trilhão em ativos sob gestão.

Ao longo do último ano, a gestora tem mantido participação de mercado em torno de 20%, com os investidores buscando uma maior alocação em renda fixa. Isto é, onde as gestoras tradicionais, como a do BB, têm maior experiência.

A troca é uma das primeiras realizadas pela gestão de Tarciana Medeiros em uma empresa coligada do banco. Anteriormente, a executiva havia feito mudanças na diretoria executiva do BB, privilegiando executivos e executivas que, como ela, são ou foram funcionários de carreira do banco.

A trajetória de Denísio Liberato

Denísio Liberato está na diretoria da Previ desde 2020, e ocupava uma das três vagas da cúpula da entidade que são de indicação do BB. Além disso, no banco, foi diretor nas áreas de finanças e internacional, além do segmento Private, que atende a clientes endinheirados.

Contudo, a partir de 2013, foi cedido por três anos à Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda. Posteriormente, de volta ao BB, passou pela diretoria de governança na diretoria de Mercado de Capitais.

Ele tem 23 anos de BB, e é graduado em Economia pela Universidade Federal de Viçosa, além de mestre e doutor em Economia pela Fundação Getulio Vargas (FGV).