Defesa de ex-CEO da Americanas confirma que Miguel Gutierrez foi solto e está em casa em Madri

Gutierrez é alvo de operação da Polícia Federal que investiga participação de executivos da varejista em fraude bilionária e havia sido detido na sexta-feira (28) na capital espanhola

A defesa do ex-CEO da Americanas Miguel Gutierrez confirmou há pouco que o executivo se encontra em liberdade, em sua residência em Madri, capital da Espanha. Gutierrez foi um dos alvos de mandando de prisão da “Operação Disclosure”, deflagrada na última quinta-feira (27) pela Polícia Federal (PF), em conjunto com Ministério Público Federal (MPF/RJ), que visa elucidar a participação dos ex-diretores da empresa Americanas em fraudes contábeis.

Gutierrez foi preso na sexta-feira (28) na Espanha. Na ocasião da deflagração da ação, na última quinta-feira (27) a PF informou, sem citar nomes, que dois alvos de mandando de prisão encontravam-se no exterior, foragidos – e que já tinham sido incluídos na lista de Difusão Vermelha da Interpol pelo Núcleo de Cooperação Internacional (Interpol).

A informação da soltura de Gutierrez também foi veiculada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal “O Globo”.

Em nota assinada por defesa de Gutierrez, na manhã deste sábado (29), os advogados do ex-CEO da Americanas informam que, no momento, o alvo de mandado de prisão no Brasil encontra-se em sua residência em Madri, na Espanha, “no mesmo endereço comunicado desde 2023 às autoridades espanholas e brasileiras, onde sempre esteve à disposição dos diversos órgãos interessados nas investigações em curso”, informou a defesa do acusado, em nota.

“Na data de ontem (28/06), o executivo compareceu espontaneamente ante as autoridades policiais e jurisdicionais com o fim de prestar os esclarecimentos solicitados. Diante do acesso aos autos, Miguel agora poderá exercer sua defesa frente às alegações originadas por delações mentirosas em relação a ele”, disse a defesa, no informe.

Também no comunicado, a defesa reiterou ainda que Gutierrez “jamais participou ou teve conhecimento de qualquer fraude e que vem colaborando com as autoridades, prestando os esclarecimentos devidos nos foros próprios, manifestando uma vez mais sua absoluta confiança nas autoridades brasileiras e internacionais”.

A Americanas informou rombo contábil em janeiro de 2023. Na ocasião, a companhia disse que havia identificado “inconsistências em lançamentos contábeis” nos balanços corporativos no valor de cerca de R$ 20 bilhões.

A investigação da PF e do MPF contou ainda com o apoio técnico da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), detalhou ainda a PF, na ocasião da deflagração da operação na última quinta-feira (27).

O outro alvo de mandado de prisão da operação, a ex-diretora da Americanas Anna Ramos Saicali, que comandava a B2W, braço de varejo digital do grupo e atualmente está foragida, deve se entregar, de acordo com fonte que acompanha o assunto. De acordo com a mesma fonte, ela se encontra em Portugal, no momento. A informação também foi veiculada pela colunista do jornal “O Globo” Malu Gaspar, neste sábado (29).

Outros 12 executivos foram alvo de busca e apreensão em endereços do Rio de Janeiro, na última quinta-feira (27).

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir