Morning call: confira o que você precisa saber antes da abertura do mercado de sexta

Dólar, exterior... saiba o que você precisa entender do mercado agora

A semana chega ao fim esvaziada. De importante, importante mesmo, apenas a divulgação do IBC-Br, que é o índice de atividade econômica de abril medido pelo Banco Central. Esta é a principal conclusão do morning call.

Ainda assim, como todos os dias, há uma série de informações importantes que o investidor precisa prestar atenção. Vamos a elas?

Morning call: no que prestar atenção?

Alta do dólar: entenda ações interessantes agora

Relatório do banco BTG Pactual indicou quais as ações que potencialmente se beneficiam da alta recente do dólar. Assim, a instituição financeira indica Petrobras (PETR4), Klabin (KLBN11) e Embraer (EMBR3).

Dessa forma, o BTG reitera em relatório que o cenário de dólar forte, e portanto, de real fraco, é geralmente positivo para os exportadores brasileiros. Confira mais informações aqui.

Por falar em dólar…

Vale o investidor ficar atento, também, nesta fala de Walter Maciel, CEO da AZ Quest. De acordo com o CEO da empresa, o preço de equilíbrio do dólar contra o real deveria ser próximo de R$ 4. Já entregamos aqui o principal fato da reportagem assinada por Pedro Knoth, mas o texto traz outros dados importantes. Confira aqui.

Para quem tem um olho fora do Brasil

Então, levantamento exclusivo publicado pela Inteligência Financeira mostrou que apenas três das 19 ações de brasileiras que fizeram IPO em Nova York operam no azul em 2024. Descubra aqui quais são essas empresas. Uma delas, provavelmente, você qual é: o Nubank (NUBR33).

Assim, importante destacar que a bolsa de valores fechou a quinta-feira (13) da seguinte forma:

  • Ibovespa recuou 0,31%, aos 119,5 mil pontos
  • Renova-se, assim, o menor patamar do ano
  • O volume negociado na sessão foi de R$ 13,5 bilhões

Morning call: como fecharam as bolsas nos Estados Unidos

Os mercados acionários americanos encerraram o pregão desta quinta-feira sem sinal único. Em uma nova sessão de queda dos rendimentos dos Treasuries de longo prazo, o setor de tecnologia encontrou espaço para exibir ganhos adicionais e, assim, levar tanto o S&P 500 quanto o Nasdaq a novas máximas históricas.

No fim dos negócios em Wall Street, o índice Dow Jones encerrou em queda de 0,17%, aos 38.647,10 pontos; e o S&P 500 subiu 0,23%, para 5.433,74 pontos. Já o índice eletrônico Nasdaq teve alta de 0,34%, aos 17.667,56 pontos.

Bolsas da Ásia: como fecharam?

As bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira depois que o Banco do Japão (BoJ) acenou que irá reduzir o volume de compra de títulos do governo japonês e que detalhes serão discutidos na reunião do BoJ de julho. Já os juros foram mantidos inalterados entre zero e 0,1%.

No Japão, o Nikkei fechou em alta de 0,2% a 38.814,56 sustentado pelo avanço de ações do setor imobiliário e de corretoras. Mitsubishi Estate subiu 3,3% e Mrubeni aganhou 2,9%. Na semana, o Nikkei avançou 0,34%.

Na coletiva após a reunião do BoJ, o presidente do banco central, Kazuo Ueda disse que a redução do volume de compra de títulos será considerável e começará imediatamente após a próxima reunião. “Estamos agindo de forma cautelosa, mas isso não significa que iremos reduzimos apenas um pequeno volume”, disse.

Para a Moody’s Analytics, o BoJ vai reduzir seu apoio monetário este ano. “O comunicado do BoJ hoje deixa claro que ele quer reduzir ainda mais o apoio monetário”, disse o economista Stefan Angrick, em nota. Segundo ele, o comunicado argumenta que a economia está se recuperando, o que contrasta com os dados econômicos fracos. “Mas o iene fraco favorece mais aperto”, avalia, projetando um novo aumento nos juros em julho ou setembro.

Coreia do Sul

Na Coreia do Sul, o índice Kospi subiu 0,1% a 2.758,42 pontos, ampliando os ganhos para quatro sessões consecutivas. Na semana, a alta foi 1,3%. No pregão de hoje, o mercado foi sustentado por ações de fabricantes de navios, peças de automóveis e de empresas de alimentos. HD Korea Shipbuilding subiu 4,4% e STX Heavy Industries avançou 3,6%. A Hyundai Mobis teve alta de 7,5% e o fabricante de macarrão ‘noodles’ Samyang Foods ganhou 5,7%.

China continental

Na China continental, o índice Shanghai subiu 0,1% a 3.032,63 impulsionado por ações do setor imobiliário e de hardware. Pesquisa do Nikkei Asia mostrou que vendas de imóveis aumentaram 4% em maio ante abril depois que medidas de apoio estatal foram implementadas. Investidores esperam o anúncio da taxa de empréstimo de curto-prazo pelo banco central chinês (PBoC) durante o fim de semana.

No pregão de hoje, a Poly Developments avançou 1,4% e a Zhongji Innolight ganhou 12%. Na semana, o Shanghai perdeu 0,61%.

Hong Kong

Já em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em queda de o,9% a 17.941,78 pontos, pressionadas por perdas em ações de varejistas provocadas por um sentimento de fuga de risco devido à incerteza macroeconômica. Investidores estão analisando o impacto das decisões do Federal Reserve (Fed) e do BoJ e esperando uma série de dados econômicos da China na próxima semana, além da decisão de juros do PBoC no fim de semana.

Chow Tai Jewellery caiu 8,9%, WuXi AppTec recuou 5,1% e Wuxi Biologics perdeu 4,4%. Na semana, o Hang Seng acumulou perdas expressivas de 2,31%.

Índia

Na Índia, por volta das 6h44 (de Brasília, o índice Sensex subia 0,23% a 76.990,93 impulsionado pelo avanço de ações industriais. UltraTech Cement sobe 0,5% e Tata Steel avança 0,2%, com a Suven Pharmaceuticals ganhando 4%. O índice de preços no atacado da índia subiu 2,61% em maio, acelerando ante alta de 1,26% em abril. Para analistas do Barclays, essa aceleração vai ter implicações no cenário do banco central. “A inflação de alimentos permanece elevada e pressão de custos na indústria está crescendo”, disseram, em nota. No horário acima, o Sensex subia 0,42% na semana.

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir