Morning call: bolsa deve ficar mais sensível ao cenário interno com feriado nos Estados Unidos

Nesta quarta-feira, a bolsa de valores fechou em alta de 0,33%, aos 126.035,30 pontos

O morning call de hoje indica que a bolsa de valores hoje deverá caminhar com pernas próprias, mais sensível ao cenário interno do que externo. Isso porque as bolsas de Nova York permanecem fechadas por conta do feriado do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos.

Também não há no calendário econômico nada relevante nesta quinta-feira (23). Assim, a bolsa pode, ainda na sessão de hoje, repercutir a aprovação da taxação dos fundos offshore e fundos exclusivos na Comissão de Assuntos Econômicos. Além disso, até mesmo a notícia de que o calendário de votação da reforma tributária será conhecido no próximo dia 27.

Ontem a bolsa de valores fechou em alta de 0,33%, aos 126.035,30 pontos. Trata-se do melhor desempenho desde 28 de julho de 2021, portanto. O dólar fechou em alta e subiu 0,07%, cotado a R$ 4,9017.

Vale ainda destacar que os juros futuros fecharam a quarta-feira em baixa moderada, influenciados pelo avanço das pautas econômicas no Congresso.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2025 caiu de 10,563% para 10,500% e a do DI para janeiro de 2026, de 10,30% para 10,24%. Por sua vez, o DI para janeiro de 2027 encerrou com taxa de 10,36% (de 10,43%) e a do DI para janeiro de 2029 encerrou a 10,77%, de 10,83% ontem.

Finalmente, no fechamento das bolsas de Nova York, o índice Dow Jones avançou 0,53%, a 35.273,03 pontos. O S&P 500 ganhou 0,41%, a 4.556,62 pontos. O Nasdaq subiu 0,46%, a 14.265,86 pontos. Como mencionado, as bolsas de Nova York ficam fechadas nesta quinta-feira.

Sem Nova York no radar, vale especial atenção ao que ocorreu no fechamento das bolsas asiáticas no morning call de hoje.

Bolsas asiáticas

Os mercados acionários da Ásia tiveram pregão positivo, nesta quinta-feira, com ganhos inclusive em Xangai. Tóquio, porém, não operou, devido a feriado no Japão.

A Bolsa de Xangai fechou em alta de 0,60%, em 3.061,86 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 0,82%, a 1.921,43 pontos.

O mercado acionário chinês foi apoiado por mais medidas de estímulo ao setor imobiliário da China. Em Shenzhen, por exemplo, houve medidas recentes para relaxar exigências na compra de uma segunda residência, e o sentimento também era apoiado pela notícia de mais cedo nesta semana sobre uma lista de companhias do setor que poderiam receber empréstimos, elaborada por autoridades.

Entre ações em foco, as montadoras e empresas de partes de automóvel se saíram bem, com Chongqing Changan Automobile em alta de 6,75% e Huayu Automotive Systems, de 2,1%. Jiangsu Hengli Hydraulic ganhou 1,4%.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi registrou ganho de 0,13%, a 2.514,96 pontos, em quadro misto nas ações, mas com papéis dos setores financeiro e automotivo apoiando o movimento para cima. Hyundai Motor subiu quase 1,% e Kia, 1,7%. Entre os bancos, Shinhan Financial teve alta de 0,3% e Hana Financial, de 1,2%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,99%, para 17.910,84 pontos. Em Taiwan, o Taiex caiu 0,09%, a 17.294,55 pontos.

Bolsas na Oceania

Na Oceania, neste morning call, o índice S&P/ASX 200 de Sidney registrou baixa de 0,62%, em 7.029,20 pontos. As perdas foram generalizadas, inclusive no setor de energia. Origin Energy caiu 1,1% e Chalice, 5,5%, entre papéis em foco.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo