Ex-diretora da Americanas foragida deve retornar ao Brasil na segunda-feira dia 1º em SP

Anna Ramos Saicali é um dos alvos de mandado de prisão da 'Operação Disclosure', deflagrada pela Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público Federal que investiga fraudes contábeis na Americanas

A ex-diretora da Americanas Anna Ramos Saicali, que comandava a B2W, braço de varejo digital do grupo e atualmente foragida, deve retornar ao Brasil na segunda-feira, dia 1 de julho, de acordo com fonte que acompanha o tema. Ela é um dos alvos de mandado de prisão da “Operação Disclosure”, deflagrada na última quinta-feira (27) pela Polícia Federal (PF), em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF/RJ).

A ação da PF e do MPF visa elucidar a participação dos ex-diretores da empresa Americanas em fraudes contábeis que, conforme Fato Relevante divulgado pela própria empresa, chegam ao montante de R$ 25,3 bilhões. A investigação contou ainda com o apoio técnico da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

De acordo com a mesma fonte, Saicali está em Portugal, no momento. O Valor teve acesso à passagem de retorno de Saicali ao Brasil. Nela, a saída da ex-executiva da Americanas está marcada para às 23h35 do dia 30 de junho no aeroporto de Lisboa, com chegada prevista para o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, no dia 1 de julho, às 5h35.

Saicali é um dos dois alvos de mandado de prisão da operação da PF. O ex-CEO da Americanas, Miguel Gutierrez, é o outro alvo. Assim como Saicali, encontrava-se foragido no exterior, na Espanha. No mesmo dia da operação, na última quinta-feira (27), ambos foram incluídos na lista de Difusão Vermelha da Interpol pelo Núcleo de Cooperação Internacional (Interpol).

Gutierrez foi preso em Madri, na sexta-feira (28). Mas, hoje sábado (29), a defesa do ex-CEO informou que ele já se encontra em liberdade. A defesa de Gutierrez informou que seu cliente compareceu espontaneamente ante as autoridades policiais e jurisdicionais, na sexta-feira (28), com o fim de prestar esclarecimentos solicitados. E que, diante do acesso aos autos, Gutierrez exercerá defesa “frente às alegações originadas por delações mentirosas em relação a ele”, disse a defesa, em comunicado veiculado esta manhã.

A Americanas informou rombo contábil em janeiro de 2023. Na ocasião, a companhia disse que havia identificado “inconsistências em lançamentos contábeis” nos balanços corporativos no valor de cerca de R$ 20 bilhões. A investigação da PF e do MPF sobre o caso contou ainda com o apoio técnico da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), detalhou a PF, na ocasião da deflagração da operação na última quinta-feira (27).

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir