SLC Agrícola ON deve passar a fazer parte do Ibovespa a partir de maio, aponta Itaú BBA

Primeira prévia do novo rebalanceamento do Ibovespa está agendada para o dia 1 de abril
Pontos-chave:
  • Analistas do Itaú BBA acreditam que SLC Agrícola ON deve passar a fazer parte do Ibovespa

Com a primeira prévia do novo rebalanceamento do Ibovespa agendada para o dia 1 de abril, analistas do Itaú BBA acreditam que SLC Agrícola ON deve passar a fazer parte do Ibovespa, ao passo que nenhuma empresa deve perder o seu lugar no índice (para além das consolidações de LAME4 e AMER3, da Americanas, e HAPV3 e GNDI3, com a fusão entre Hapvida e Notredame). Ainda haverá mais duas prévias, nos dias 18 e 29 de abril, antes do novo benchmark ser efetivado no dia 2 de maio.

O modelo do banco de investimentos aponta que, além de SLCE3, Porto Seguro ON, Raízen PN e Arezzo ON estão próximos de romper a barreira de inclusão, que demanda presença superior a 95% nos pregões dos últimos 12 meses; contribuição superior a 0,1% no volume total negociado no Ibovespa; e índice de negociabilidade acumulada (IN) acima de 85% para inclusão e de 90% para manutenção. JHSF ON corre risco de exclusão.

Em termos de volume de negociação nos últimos meses, a equipe liderada por Marcelo Sá indica que SLC Agrícola ON, Energisa units e Rede D’Or ON exerceram pressão positiva nos últimos meses, enquanto Vale ON, Vivo Telefônica ON e Iguatemi units fizeram o caminho contrário.

Assim, a casa estima que o setor de commodities possa perder espaço na ponderação do índice, de 39,5% para 38,3%, com Vale ON recuando de 16,60% para 15,30%. Enquanto o setor financeiro pode ser o maior beneficiado, subindo de 23,9% para 24,4%, com BTG Pactual units crescendo sua participação de 1,50% para 1,79%.

Com Valor Pro, serviço de informação em tempo real do Valor Econômico.

Leia a seguir

Leia a seguir