Bitcoin desaba após regulador processar Binance nos EUA; token BNB recua 6%

Criptomoeda baixou ao menor patamar em dez dias

O bitcoin (BTC) passou a operar com forte baixa nesta segunda-feira após a CFTC (Comissão de Negociação de Futuros e Commodities) entrar com processo na Justiça contra a Binance, maior corretora de criptoativos do mundo, sob alegação de falha no compliance e falta de registro, entre outras irregularidades.

Maior das criptomoedas, o bitcoin recuou de cerca de US$ 28 mil para menos de US$ 27 mil com a notícia. No início da tarde, no entanto, retomou a faixa de US$ 27 mil, menor patamar em dez dias. Mesmo assim, o bitcoin caminha para terminar o mês com alta acumulada de 16%, se mantiver o atual patamar de preço.

Segundo a CFTC, a Binance deveria ter se registrado na agência anos atrás e continua violando as regras de derivativos da CFTC. Em comunicado, a consultora da divisão de execução da CFTC, Gretchen Lowe, considerou uma “farsa” os esforços de conformidade da Binance, que teria orientado clientes com domicílio nos EUA a utilizar redes privadas virtuais (VPNs) para ocultar sua localização e direcionar “clientes VIPs” para abrir contas sob o nome de empresas de fachada.

Cotações

Perto das 14h50 (horário de Brasília), o bitcoin era negociado a US$ 27.060,24, com baixa de 3% nas últimas 24 horas, segundo o CoinGecko. Já o ether valia US$ 1.716,10, com baixa de 3,1%. O token nativo da Binance, o BNB, recuava 6%, negociado a US$ 308,46.

Em reais, o bitcoin era cotado a R$ 142.107,98 (-3,48%), enquanto o ether estava em R$ 9.010 (-3,74%), de acordo com o MB.

Setor bancário no radar

Nesta semana, os investidores seguem monitorando a situação do Deutsche Bank e demais bancos regionais dos EUA, além do índice de preços com gastos com consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, que podem mexer com as cotações.

Leia a seguir

Leia a seguir