Novo arcabouço fiscal agradará o Congresso, diz Simone Tebet

Proposta do novo mecanismo de controle de gastos deve ser apresentada nesta semana pelo governo Lula

A ministra do Planejamento, Simone Tebet, reforçou na segunda-feira (20) acreditar que o novo arcabouço fiscal, prometido para ser divulgado ainda neste mês, vai de encontro ao que o Congresso Nacional quer para o país.

“Da forma como a equipe econômica moldou o novo arcabouço fiscal e conhecendo o Congresso Nacional, especialmente o Senado, vai agradar muito e vai ao encontro do que o Senado Federal quer para o Brasil”, disse a ex-senadora e atual ministra a jornalistas durante o prêmio Mulheres Exponenciais, organizado pelo grupo Esfera Brasil junto com a Conecta. Ela recebeu o prêmio na categoria de política.

Tebet também aproveitou a oportunidade para comentar sua participação na reunião anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no último fim de semana, no Panamá.

“O mundo estava com saudade do Brasil. A América Latina estava com saudade do Brasil”, disse a ministra do Planejamento, criticando o governo anterior do ex-presidente Jair Bolsonaro.

“Foi o primeiro encontro presencial depois da pandemia que os olhos da América Latina estavam direcionados para o Brasil. E o nosso recado é muito claro. O nosso governo agora é o governo da inclusão social. Acabar com a miséria e diminuir a pobreza”, afirmou Tebet.

Ela também disse que destacou a importância da sustentabilidade no encontro do BID. “Vamos produzir mais sem derrubar nenhuma árvore de forma ilegal”.

Ao receber o prêmio, Tebet pontuou que as mulheres estão ganhando espaço nas esferas de poder, mas que o cenário ainda precisa melhorar muito para que haja a devida igualdade de gênero. Ela comentou que o trabalho deve ser feito conjuntamente entre mulheres e homens para assegurar e expandir conquistas civilizatórias.

Leia a seguir

Leia a seguir