Paris muito além dos Jogos: como uma regra simples de investimento pode nortear suas decisões

Seguindo esta lista você consegue mitigar seus erros ao investir

No pulsar acelerado das ruas parisienses, onde o aroma das padarias se mistura ao frenesi do trânsito matinal, Paris desperta mais uma vez. E, embora eu não esteja lá fisicamente, sinto uma saudade profunda dessa cidade que tanto me encanta. Estamos próximos dos Jogos Olímpicos, os primeiros após a pandemia, e imagino como seria estar novamente nas margens do Sena, contemplando a majestade da Torre Eiffel sob o céu da manhã. Mas o que os Jogos Olímpicos nos ensinam sobre investimentos?

Jogos Olímpicos e investimentos

Como professor de finanças, divido-me entre números e gráficos econômicos e as lembranças da vibrante vida cultural e esportiva de Paris.

Os Jogos Olímpicos trazem renovação e esperança, especialmente após os desafios globais.

Paris é o cenário perfeito para celebrar a perseverança humana e a excelência atlética. Na atmosfera dessa linda cidade que, faz alguns anos, eu e a minha equipe concebemos um checklist.

Um checklist é essencial para evitar erros, omissões ou esquecimentos.

Ao seguir uma lista predefinida, garantimos que todas as ações importantes sejam realizadas de maneira consistente e completa, o que é crucial em processos operacionais, procedimentos médicos, viagens, projetos e eventos.

Além de evitar erros, um checklist sobre Jogos Olímpicos e investimentos traz benefícios como aumento da eficiência e economia de tempo ao evitar retrabalho. Também melhora a qualidade do trabalho ao padronizar processos e garantir que nada seja negligenciado, reduzindo o estresse ao proporcionar controle e tranquilidade.

Assim nasceu a Regra de Paris.

O que é a Regra de Paris?

A Regra de Paris para os investimentos nada mais é do que um checklist que tenta abordar os 5 pontos que considero mais frequentemente atrapalharem as decisões de investimento. Vamos explorá-los:

“P”, de Projetar

O “P” de Paris representa projetar, o que significa pensar no longo prazo. Devemos evitar a miopia ao avaliar o retorno de investimentos destinados a um horizonte temporal mais distante. É importante lembrar da famosa frase de Warren Buffett: “O mercado de risco é uma enorme fonte de transferência de riqueza dos apressados para os pacientes”.

“A”, de Avaliar

Em seguida, temos o “A”, que propõe cautela ao avaliar. Não devemos utilizar o retorno passado como a principal base de decisão. A própria regulação exige que as instituições alertem os investidores de que rentabilidade passada não garante resultados futuros. No entanto, é comum vermos investidores cometerem esse erro e escolherem investimentos com base unicamente no histórico de maior rendimento. Os investimentos são sempre sobre o futuro e, por isso, as perspectivas são mais importantes do que o passado.

“R”, de Reduzir

O “R” é de reduzir, e aqui é importante pensar na diversificação, evitando o problema do excesso de confiança e otimismo. Devemos sempre lembrar do ensinamento de Markowitz: “A diversificação ajuda a melhorar a eficiência de uma carteira”.

Leia a seguir

Leia a seguir

“I”, de Identificar

O “I” é de identificar, relacionado à tolerância ao risco medida por meio de um questionário de perfil. Isso ajuda a evitar que o investidor assuma riscos maiores do que é capaz de suportar.

“S”, de Selecionar

Por fim, temos o “S” que propõe que os riscos sejam selecionados de acordo com os objetivos financeiros do investidor.

O que Paris nos ensina sobre investimentos

A Regra de Paris (Projetar, Avaliar, Reduzir, Identificar e Selecionar) enfatiza pensar a longo prazo, avaliar adequadamente, diversificar para reduzir riscos, identificar a tolerância ao risco e selecionar riscos alinhados aos objetivos financeiros, fundamentando decisões.

Com os Jogos Olímpicos se aproximando, Paris se prepara para brilhar globalmente. Aguardo poder voltar em breve à cidade que inspira, pronto para compartilhar ainda mais conhecimento.

Desejo a todos os atletas brasileiros e brasileiras que competirão nos Jogos Olímpicos de Paris muita sorte e sucesso.

Que cada passo dado em solo parisiense seja guiado pela determinação e pelo espírito esportivo que tanto enriquecem nossas vidas.

Que suas performances inspirem não apenas em resultados, mas também em exemplos de superação e excelência.

Estaremos aqui, torcendo e apoiando cada conquista, celebrando juntos o espírito olímpico que transcende fronteiras e conecta o mundo através do esporte.

*Texto de Martin Iglesias para o íon; para ler este e outros conteúdos, acesse ou baixe o app agora mesmo.