Presidente da C&A diz que empresa não está sendo vendida para a Renner

Paulo Correa repercutiu informação divulgada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo

O presidente da varejista de moda C&A (CEAB3) no Brasil, Paulo Correa, está em Nova York participando da conferência NRF 2023, organizado pela National Retail Federation, que reúne grandes empresas do varejo nos Estados Unidos. Questionado pelo Valor sobre um possível avanço de negociações de venda da operação brasileira da C&A para a concorrente Renner (LREN3), Correa disse que não há qualquer movimento da empresa nesse sentido.

O colunista Lauro Jardim, do jornal “O Globo”, havia informado no domingo que as negociações entre C&A e Renner eram preliminares. “A informação não procede”, disse Correa.

As ações da C&A chegaram a registrar alta de 20,1% na manhã desta segunda-feira na B3, negociadas a R$ 2,92.

Personalização no WhatsApp

O executivo contou que a C&A está de olho na personalização de vendas pelo aplicativo WhatsApp.A empresa lançou as vendas on-line pelo aplicativo da Meta em outubro de 2020, no auge da pandemia da covid-19.

Segundo Correa, a demanda pelo WhatsApp teve um crescimento bastante expressivo no último trimestre. Os números serão informados somente quando o balanço da companhia for divulgado.

“Oferecemos o WhatsApp como um recurso de ajuda aos clientes do programa de relacionamento C&A One e da loja on-line, o que vem funcionado muito bem”, disse Correa.

No app, o cliente também recebe recomendações de novos produtos com base em seu perfil de compras. “A partir do primeiro contato no WhatsApp, o cliente adiciona o vendedor na agenda, gera um relacionamento para futuras compras e isso se torna uma venda, de fato, personalizada”, explicou o executivo.