Santander (SANB11) fecha em alta mesmo após lucro do 4º trimestre decepcionar

Os papéis do banco abriram a sessão desta quinta-feira (2) em queda firme

As units do Santander Brasil (SANB11), que começaram o pregão desta quinta-feira em baixa de 2,7% após divulgação de balanço, passavam a subir durante a tarde e fecharam em alta de 0,18%, a R$ 27,40.

Outros papéis do setor financeiro também avançaram na sessão, como Itaú (0,62%) e Bradesco (1,50%). Banco do Brasil (-1,89%) e BTG Pactual (-4,77%) destoaram e caíram.

De acordo com fontes ouvidas pelo Valor PRO, a sinalização do Santander, na teleconferência com investidores e analistas, de que a inadimplência permanece sob controle foi vista como positiva. Preocupações com aumento na inadimplência estavam entre os principais motivos para a queda recente dos papéis de bancos, e os temores se intensificaram após a descoberta do rombo na Americanas.

O comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central também ficou no radar. A probabilidade de juros altos por mais tempo pode melhorar os resultados financeiros dos bancos, que teriam condições de aplicar spreads mais altos.

Além disso, a melhora no otimismo dos mercados internacionais após um tom considerado mais suave do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, em entrevista coletiva realizada ontem também impulsiona os papéis no Brasil.

Pela manhã, o resultado do Santander havia causado preocupação. O banco informou que teve lucro gerencial de R$ 1,689 bilhão no 4º trimestre de 2022, queda anual de 56,5%.

O resultado ficou abaixo das projeções coletadas pelo Valor, que previam ganho de R$ 2,605 bilhões no período. O banco informou que as despesas foram impactadas por um evento subsequente no segmento de atacado – sem citar nominalmente a Americanas.