Petrobras vai manter política de dividendos e de preço de combustíveis, diz CEO ao mercado

Em encontro com agentes do mercado financeiro, a presidente da Petrobras reforçou seguir estatuto da empresa, sem mexer nos dividendos

A presidente da Petrobras (PETR3;PETR4), Madga Chambriard, afirmou hoje em encontro com analistas que pretende manter inalterada a política de distribuição de dividendos da estatal pagos a acionistas. Em reunião com agentes do mercado financeiro, a recém-empossada CEO da Petrobras também defendeu não mudar a política de preços da petroleira sobre combustíveis.

O Goldman Sachs e a XP Investimentos enfatizaram em relatório que a Petrobras continuará comprometida com a execução do plano de negócios com foco em exploração e produção de petróleo e gás natural. Chambriard enfatizou a atuação da Petrobras na Margem Equatorial. A partir do encontro, o Goldman reiterou recomendação de compra para as ações.

Estatuto da Petrobras dificulta mudanças, diz Goldman

Ao reafirmar a recomendação de compra sobre as ações da Petrobras (PETR3;PETR4), o Goldman Sachs nota que leis de governança, além do atual estatuto da Petrobras, tornariam qualquer mudança nas políticas da estatal “um desafio” para a nova diretoria.

Isso, portanto, inclui mudanças na política de preços de combustíveis e dividendos da Petrobras.

Mesmo com a recente troca de comando na estatal, analistas do banco americano apontam que as ações da Petrobras (PETR3;PETR4) passam por um rali atribuído ao processo de turnaround iniciado em 2016.

A diretoria, incluindo Chambriard, comentou a analistas que o novo plano de negócio da Petrobras deve focar na exploração da Margem Equatorial. Especialmente porque, segundo cálculos dos executivos, a extração do pré-sal deve atingir seu pico no começo da próxima década, a partir de 2032.

“A diretoria enfatizou que agora é a hora de a companhia repor suas reservas”, escreveram Bruno Amorim, João Frizo e Guilherme Costa Martins. Todos analistas do Goldman.

Sobre a política de dividendos, a nova presidente da Petrobras afirmou a analistas que não pretende fazer mudanças nas regras estabelecidas pelo estatuto da empresa.

A política de dividendos da Petrobras determina a distribuição de 45% do fluxo de caixa livre. Desde que o barril de petróleo Brent permaneça acima de US$ 40 a unidade, a Petrobras deve pagar pelo menos US$ 4 bilhões a acionistas no ano.

De acordo com o estatuto, consta que esse repasse dos dividendos da Petrobras deve ser feito a cada trimestre.

Petrobras vai continuar pagando dividendos gordos, diz XP

A XP Investimentos nota em relatório que a “Petrobras vai continuar a gerar fluxo de caixa livre e pagar dividendos relevantes”.

Analistas da corretora destacam que as ações da Petrobras “devem continuar a segurar a volatilidade” do mercado. Além disso, a petroleira também deve continuar a “atrasar” repasses de aumento de preços para a gasolina e diesel.

O custo sobre capital adquirido, ou Capex, deve seguir tendo como foco a exploração de óleo e gás, disseram Magda Chambriard e diretores a analistas. A XP sugere que a Petrobras deve focar investimentos no segmento de upstream que, além da exploração, inclui a identificação de bacias e produção de materiais.

A diretoria da Petrobras notou que mudanças devem ser feitas no novo Plano Estratégico da Petrobras apresentado neste ano.

Leia a seguir

Leia a seguir