Nas gestoras de shopping, Santander mantém recomendação de compra, mas corta preços-alvo

Análise do banco espanhol indica que as ações do setor caíram cerca de 22% desde o início do ano

O Santander atualizou as suas recomendações para Iguatemi, Multiplan e Allos, cortando os respectivos preços-alvos, após avaliar que as ações das companhias estão com um desempenho pior do que o observado na última recessão econômica e que as avaliações sobre as empresas estão descontadas.

O preço-alvo da Multiplan foi reduzido de R$ 36 para R$ 33,50, o da Iguatemi caiu de R$ 34 para R$ 32,50, e o da Allos foi cortado de R$ 31 para R$ 29,50. As indicações foram mantidas em compra.

O Santander comenta que as ações das gestoras de shoppings caíram cerca de 22% desde o início do ano, sendo que para cada aumento de cem pontos-base na taxa de juros reais, a queda observada foi de 21,5%, o que equivale ao dobro do que foi registrado durante a recessão entre 2014 e 2016.

As empresas também estão sendo avaliadas a níveis similares aos da pandemia, com um “spread” (diferença) descontado de entre 330 e 580 pontos-base sobre os títulos do Tesouro Nacional de dez anos.

Esse patamar é significativamente maior que o spread de 15 pontos-base observado durante a recessão de 2014 a 2016, aponta o Santander, que considera isso uma resiliência subestimada do setor.

Por outro lado, o banco afirma que os fundamentos das três empresas estão muito mais fortes atualmente do que durante os governos Dilma e Temer, com balanços mais sólidos e maior crescimento do fluxo de caixa das operações ajustado.

Além disso, o cenário limitado de oferta de nova área bruta locável deve aumentar o poder de barganha dos bancos de terrenos.

Há pouco, as ações da Multiplan subiam 4,1%, a R$ 23,11, as da Iguatemi avançavam 3,1%, a R$ 20,33, e as da Allos cresciam 1,6%, a R$ 21,16

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir