Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD)

Direto ao Ponto
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD)

A PNAD, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é o indicador que mostra a força de trabalho no curto, médio e longo prazos em todo território nacional e regionalmente.

Entre outras informações, a PNAD calcula a taxa de desemprego no país, a população ocupada, o número de empregados com e sem carteira assinada, a porcentagem de trabalhadores por conta própria e domésticos. O levantamento aponta ainda questões financeiras, como os salários dos profissionais por suas funções. Há ainda um índice de informalidade e até mesmo o total de pessoas que desistiram de procurar um emprego.

Para que serve a PNAD?

O cenário detalhado do emprego no país é essencial para que o governo desenvolva políticas públicas e os setores da economia tenham uma orientação confiável se a atividade está aquecida, estável ou em queda. Além disso, ter conhecimento sobre o trabalho no Brasil serve de subsídio às empresas para ações de posicionamento no mercado. O dado também é relevante para o cidadão, para saber como está o desempenho da área em que ele trabalha.

A PNAD e seu bolso

Na prática, a PNAD pode impactar na confiança e na maneira com que você realiza suas aplicações. Se a pesquisa mostra que há mais empregos, há mais consumo e, portanto, uma economia mais aquecida. Por outro lado, um panorama negativo, de taxa de desemprego alta, com índice elevado de informalidade e remunerações depreciadas, acendem o sinal de alerta e adicionam uma dose de cautela na hora de lidar com as contas.

Um fio puxa o outro

O estudo também compõe o cenário macroeconômico e, diante do quadro completo, evidencia tendências, como a propensão de aumentar ou cortar gastos. O nível de emprego e renda do país ainda acaba refletindo no consumo e na busca por crédito, que por vez tem efeito na inflação e nos juros cobrados pelas instituições financeiras.

Nesta sequência de um fio puxar o outro, como sabemos, chegamos ao momento da vida real em que você avalia se o melhor é poupar mais, se tem espaço no bolso para comprar um carro, um imóvel ou fazer uma reforma, e se a circunstância possibilita mais priorizar um investimento na renda fixa ou realizar um aporte em um produto de renda variável.

Como tudo começou?

A PNAD foi implantada, experimentalmente, em outubro de 2011 e, a partir de janeiro de 2012 passou a ser realizada em caráter definitivo. Segundo o IBGE, o levantamento foi planejado para produzir indicadores trimestrais sobre a força de trabalho e indicadores anuais sobre temas suplementares permanentes (como trabalho e outras formas de trabalho, cuidados de pessoas e afazeres domésticos, tecnologia da informação e da comunicação, entre outros).

Como é feita a PNAD?

O estudo é feito por meio de uma amostra de domicílios. As informações coletadas presencialmente dizem respeito às particularidades de cada casa ou apartamento visitado e de seus moradores. Cada domicílio é entrevistado uma vez a cada trimestre, durante cinco trimestres consecutivos. Assim, os indicadores da PNAD são produzidos mensalmente e não refletem o quadro de cada mês, mas, sim, a situação do trimestre móvel que finaliza a cada mês. A metodologia já estabelecida pelo IBGE é fundamental para atestar a confiabilidade da pesquisa.

A menor e a maior taxa de desemprego:

  • A menor taxa de desemprego da série histórica foi registrada no trimestre encerrado em dezembro de 2013: 6,2%
  • Já a maior taxa de desemprego foi registrada entre março e abril de 2021: 14,7%

Glossário  Índices Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
Ifix

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) foi criado em 2012 pela B3 para mostrar o retorno médio dos fundos imobiliários.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Monitor do PIB-FGV

O Monitor do PIB do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre) estima mensalmente o PIB brasileiro em volume e em valor. Isso porque a base de cálculos do levantamento usa a mesma metodologia das Contas Nacionais apuradas pelo IBGE, que também faz o levantamento do PIB.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central)

O IBC-Br é divulgado todos os meses pelo Banco Central (BC) desde março de 2010. O objetivo do índice é mensurar a evolução da atividade econômica do país e ajudar na estratégia de política monetária.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Dow Jones

Dow Jones Industrial Average, conhecido como Dow Jones, é um dos principais índices acionários do mundo. Ele acompanha o desempenho das 30 principais ações listadas na Bolsa de Valores dos Estados Unidos e é um dos termômetros mais utilizados por investidores para se medir o sentimento de Wall Street. …

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
CDI

CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é benchmark para grande parte dos investimentos de renda fixa e ainda serve como termômetro para quase todas as aplicações no Brasil. …

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

Manhã Inteligente Publicado em 15.ago.2022 às 10h42
Semana com expectativa do mercado de alta na indústria de Brasil e EUA

Saiba os destaques da agenda econômica e o que pode mexer com seu bolso e investimentos

Visão de Líder Atualizado em 15.ago.2022 às 11h00
‘Não tem mágica. Investir é uma maratona, não uma corrida de cem metros’, diz Roberto Setubal no Visão de Líder

Em entrevista exclusiva à Inteligência Financeira, o copresidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, fala sobre as perspectivas e os desafios para o Brasil e o mundo, e conta o que mudou no banco em seus 23 anos como CEO – e o que o banco mudou nele

Denyse Godoy Atualizado em 15.ago.2022 às 09h52
Mercado vê inflação em queda, juros estáveis e PIB maior ao final do ano, diz Focus

Cenário mais positivo está retratado na pesquisa semanal do BC com analistas de instituições financeiras

Valor Econômico Publicado em 14.ago.2022 às 14h30
Conheça oportunidades e tendências para investimentos ‘verdes’

Especialistas dizem que temas como créditos de carbono, bioeconomia e impacto social devem estar cada vez mais presentes nas discussões sobre dinheiro

Itaú Meu Negócio