Joesley Day

Direto ao Ponto
Joesley Day

Joesley Day foi o nome dado ao histórico pregão de 18 de maio de 2017, em que a Bolsa de Valores despencou e o dólar disparou sob impacto da delação do empresário Joesley Batista, então presidente do grupo JBS, uma das empresas do grupo J&F.

O que é o Joesley Day?

Em uma conversa gravada entre Joesley e o então presidente Michel Temer havia indícios de corrupção. O rumor era de que Temer estava pronto para renunciar. Isso deixou os investidores em pânico e o circuit breaker precisou ser acionado pela primeira vez na bolsa brasileira desde a crise do subprime, em setembro de 2008. 

O motivo do caos 

O presidente Michel Temer havia assumido o cargo em 31 de agosto de 2016, com o impeachment de Dilma Rousseff, e comandava uma agenda pró-mercado financeiro. Antes do Joesley Day, o governo Temer já havia passado no Congresso o teto de gastos, a reforma trabalhista e avançava para aprovar uma ampla reforma da Previdência. O temor do mercado que afundou a Bolsa de Valores se confirmou nos meses seguintes. A gravação comprometedora de Joesley mudou o foco do mandatário. O projeto que mexia no regime de aposentadorias – e visava reequilibrar as contas do país – foi colocado de lado para que o presidente concentrasse esforços para garantir sua sobrevivência no Palácio do Planalto. 

Como tudo começou? 

Tudo começou nove meses antes, até desembocar no Joesley Day. Conheça o cronograma desse fato histórico para o mercado financeiro: 

  • 31 de agosto de 2016: O Senado confirma o impeachment de Dilma Rousseff (PT), e Michel Temer (MDB) é empossado como presidente da República. Temer chega prometendo uma relação pacificadora com o Congresso e tem como prioridade o avanço de reformas econômicas defendidas pelo mercado financeiro. 
  • Entre setembro de 2016 e maio de 2017: A gestão Temer aprova propostas que agradaram o empresariado e as instituições financeiras. Entre elas estavam o teto de gastos, para conter o crescimento dos gastos públicos, e a reforma trabalhista, que flexibilizou as regras para a contratação de funcionários. Tudo indicava que o então governo não teria dificuldades de fazer a reforma da Previdência. 
  • 17 de maio de 2017: Às 19h30, o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, publica na internet a notícia de que o empresário Joesley Batista, do grupo J&F e que tem em seu guarda-chuva a JBS, havia delatado o presidente Michel Temer à Procuradoria-Geral da República (PGR). Havia até uma gravação feita por Joesley que ligava Temer a um escândalo de corrupção. O áudio não foi divulgado inicialmente, mas a principal revelação de Lauro Jardim era que o presidente supostamente dava aval para que o empresário continuasse fazendo repasses para que o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso na época, ficasse em silêncio. Cunha foi o responsável por instaurar o processo que culminou no afastamento de Dilma da presidência. A frase de Temer “Tem que manter isso, viu?” ficou famosa na época. 
  • 18 de maio de 2017:  A Bolsa de Valores abre em forte queda e aciona o circuit breaker  quando o Ibovespa afundava mais de 10%. A expectativa era pela publicação da íntegra da gravação do encontro entre Joesley e Temer. Às 14h50, o jornalista Ricardo Noblat, que era próximo à Temer, publica a nota em seu blog no jornal O Globo de que era real a possibilidade de o presidente renunciar, em razão da gravidade dos fatos, por pressão da oposição e até mesmo de aliados. No Palácio do Planalto, por volta de 16h e ainda sem o áudio vir à tona, Michel Temer faz um pronunciamento visivelmente nervoso e afirma que não tinha pretensão de renunciar. A Bolsa de Valores paralisa suas atividades por 30 minutos e o Ibovespa fecha em queda de 8,80%, no maior tombo diário desde 22 de outubro de 2008. Já o dólar salta 8,15%, cotado a R$ 3,38, na maior alta em quase 20 anos. 

O pós-Joesley Day em três pontos: 

  1. O presidente Michel Temer conseguiu que a Câmara barrasse duas denúncias contra ele relacionadas à delação. Temer ainda enfrentou a greve dos caminhoneiros, em maio de 2018, o que derrubou sua popularidade para um dígito e inviabilizou qualquer possibilidade de buscar a reeleição. Meses após deixar o cargo, em 21 de março de 2019, ele foi preso em um desdobramento da Operação Lava Jato; 
  1. O empresário Joesley Batista foi preso em 10 de setembro de 2017, também no âmbito da Lava Jato, acusado de omitir informações no acordo de delação premiada fechado com a Procuradoria-Geral da República e que envolvia Temer; 
  1. Já no governo de Jair Bolsonaro, depois de ser aprovada na Câmara e no Senado, a reforma da Previdência é promulgada em 12 de novembro de 2019 em sessão do Congresso. A principal mudança é a que fixa uma idade mínima de aposentadoria de 65 anos para os homens e de 62 anos para as mulheres.

Glossário  Economia Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
Balança Comercial

A diferença entre o valor adquirido com as exportações e o valor gasto com as importações em um país é chamado de balança comercial.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Banco Central (BC)

Banco Central é a instituição responsável por gerir o sistema financeiro de um país, protegendo o poder de compra da moeda e a estabilidade da política econômica.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
FED

Federal Reserve Bank (FED) é o Banco Central dos Estados Unidos e é o responsável pela política monetária daquele país.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Teto de gastos

Teto de gastos é um mecanismo que surgiu em 2016 e passou a ser aplicado em 2017, que nasceu com a missão de evitar o aumento da relação dívida pública/PIB. As despesas e os investimentos do governo ficam, assim, limitados aos mesmos valores gastos nos 12 meses anteriores terminados em junho e corrigidos pelo IPCA.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Pro rata

Pro rata, ou pro-rata, é um termo usado no mundo da contabilidade, economia, direito e finanças que indica divisões iguais de um valor. A distribuição de dividendos entre acionistas é um exemplo de pro rata.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

Manhã Inteligente Publicado em 15.ago.2022 às 10h42
Semana com expectativa do mercado de alta na indústria de Brasil e EUA

Saiba os destaques da agenda econômica e o que pode mexer com seu bolso e investimentos

Visão de Líder Atualizado em 15.ago.2022 às 11h00
‘Não tem mágica. Investir é uma maratona, não uma corrida de cem metros’, diz Roberto Setubal no Visão de Líder

Em entrevista exclusiva à Inteligência Financeira, o copresidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, fala sobre as perspectivas e os desafios para o Brasil e o mundo, e conta o que mudou no banco em seus 23 anos como CEO – e o que o banco mudou nele

Denyse Godoy Atualizado em 15.ago.2022 às 09h52
Mercado vê inflação em queda, juros estáveis e PIB maior ao final do ano, diz Focus

Cenário mais positivo está retratado na pesquisa semanal do BC com analistas de instituições financeiras

Valor Econômico Publicado em 14.ago.2022 às 14h30
Conheça oportunidades e tendências para investimentos ‘verdes’

Especialistas dizem que temas como créditos de carbono, bioeconomia e impacto social devem estar cada vez mais presentes nas discussões sobre dinheiro

Itaú Meu Negócio