Fundo de investimento imobiliário

Direto ao Ponto
Fundo de investimento imobiliário

Fundo de Investimento Imobiliário, ou simplesmente FII, é um investimento coletivo que reúne pessoas com um mesmo objetivo: investir em negócios imobiliários. Fundos de renda (tijolo) e fundos de recebíveis (papel) são os dois principais tipos de fundo imobiliário.

Veja este e outros vídeos explicando o bê-a-bá das finanças e investimentos no nosso canal do Youtube: youtube.com/sigaif

Um fundo de investimento imobiliário é criado e administrado por uma instituição financeira, que preenche uma série de requisitos e envia um pedido de autorização à CVM. Depois de aprovado, o fundo faz uma oferta pública inicial de distribuição de cotas, apresentando ao mercado sua estratégia de investimento e rentabilidade esperada. Os investidores interessados reservam suas cotas de acordo com o montante que desejam investir.  

Também é possível investir em um fundo de investimento imobiliário por meio da compra e venda de cotas na Bolsa de Valores — o que é chamado de mercado secundário, uma vez que os ativos já foram lançados anteriormente na oferta pública inicial. Nos dois casos é preciso ter uma conta em uma corretora de valores e acessar o home broker.  

Ao investir em um fundo de investimento imobiliário, você se torna um cotista, junto com outros investidores. Em outras palavras, é “dono” de um pedacinho do imóvel ou empreendimento, mas não exerce qualquer direito real e não responde legalmente por ele. Os FIIs são controlados por uma gestora de fundos e têm um gestor especializado que acompanha o mercado e faz as movimentações dos ativos e composição da carteira. Ou seja, é o gestor que cuida do dinheiro investido.  

Todos os investidores pagam o mesmo valor na cota e a rentabilidade depende do desempenho da carteira. Os resultados devem ser repassados de forma igual para todos os cotistas. Dessa forma, o quanto você ganha ou perde depende do número de cotas que comprou. 

https://studio.youtube.com/video/OZ4ywpS2aUY/edit

Cinco fatos sobre o fundo de investimento imobiliário: 

  1. Eles foram criados em junho de 1993, com a Lei Federal 8.668/93. A regulamentação estruturou, trouxe segurança e impulsionou o investimento nesse mercado, facilitando a entrada de investidores. Em 2008, a Comissão de Valores Mobiliários criou a Instrução CVM 472 — atual regulamentação com regras para administração e funcionamento dos FIIs. 
  1. Existem dois principais tipos de FIIs. Os fundos de tijolo são aqueles que focam na construção ou aquisição de empreendimentos imobiliários físicos. Ou seja, os cotistas investem em shoppings, galpões, prédios comerciais e outros imóveis. Já os fundos de papel investem em títulos financeiros ligados ao mercado imobiliário, como Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). 
  1. Os investimentos em FIIs são isentos de Imposto de Renda. Os cotistas não pagam impostos sobre os rendimentos — apenas se venderem as cotas do fundo. Isso faz com que o investimento se torne mais atrativo. Em agosto de 2020, os FIIs alcançaram 1 milhão de investidores pessoas físicas, de acordo com a B3. 
  1. Assim como as ações, as cotas de um fundo imobiliário oscilam na Bolsa de Valores e são influenciadas por diversos fatores e condições do mercado. Por isso, os FIIs são considerados investimentos de renda variável. 

Glossário  Renda Variável Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
Relação com Investidores (RI)

O RI combina marketing, comunicação institucional e finanças. Seu objetivo é fornecer ao mercado e stakeholders informações sobre o desempenho da empresa.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Hedge

Hedge significa proteção. Fazer hedge é uma estratégia de proteção contra variações de preços no mercado financeiro.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Mercado fracionário

O lote padrão de uma empresa listada na Bolsa de Valores tem 100 ações. No mercado fracionário, este lote é "quebrado" e o investidor pode comprar de uma a 99 ações.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Direito de subscrição

Direito de subscrição é a preferência dada ao acionista para adquirir mais ações, quando uma empresa decide fazer uma nova captação (follow on).…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Swing trade

Swing trade é uma operação feita na Bolsa de Valores, na qual o investidor compra e vende ações em pregões diferentes, com intervalo de dias ou semanas.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

André Franco Atualizado em 19.ago.2022 às 06h34
Meme coins: vale a pena investir?

Nos ciclos de alta, é normal que ‘versões B’ de uma criptomoeda sejam criadas

Mário Mesquita Atualizado em 19.ago.2022 às 06h33
Opinião: A economia brasileira em 2022 e 2023

Dados fatores internos e externos, não é baixa a probabilidade de o PIB retroceder no ano que vem

Redação IF Publicado em 18.ago.2022 às 16h51
Juros futuros fecham em alta após megaleilão do Tesouro

Os juros futuros encerraram o pregão desta quinta-feira (18) em alta, na contramão dos rendimentos dos títulos do Tesouro americano

Redação IF Publicado em 18.ago.2022 às 13h48
Bolsas da Europa se firmam em alta e fecham positivas com investidores avaliando ata do Fed

As bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, conforme os investidores reavaliam as perspectivas para a política monetária do Federal Reserve (Fed). Após ajustes, o índice Stoxx Europe 600 fechou com ganho de 0,39%, a 440,76 pontos. O FTSE 100, índice de referência da bolsa de Londres, subiu 0,35%, a 7.541,85 pontos, enquanto o DAX, […]

Redação IF Publicado em 18.ago.2022 às 11h10
Grupo Soma mostra capacidade de entregar reviravolta de Hering e expansão de vendas, diz Ativa

Ativa Investimentos tem recomendação de compra para as ações do Grupo Soma, com preço-alvo de R$ 18,40, potencial de alta de 44,4% ante o fechamento de ontem

Itaú Meu Negócio