Desdobramento de ações (ou split)

Direto ao Ponto
Desdobramento de ações (ou split)

Desdobramento de ações (ou split) acontece quando uma empresa divide suas ações. O investidor que já tem as ações em carteira continua com o mesmo volume em dinhiero, mas com uma maior quantidade de ações.

O desdobramento de ações acontece sempre que há uma valorização da empresa no mercado e ela decide, então, baratear o preço para atrair novos investidores.

Quem dá a aprovação final para o split é o Conselho de Administração da companhia, que envia comunicado para a Bolsa de Valores. E, segundo a Bolsa, o desdobramento traz duas vantagens: o aumento da liquidez dos papéis e a cotação se torna mais atrativa, uma vez que há um novo patamar para as negociações.

Como funciona o desdobramento de ações

Vamos usar um exemplo para ilustrar o split. Quando uma empresa faz o desdobramento de 1 para 10 de suas ações, o investidor passa a ter, então, dez vezes mais ações, mas com o mesmo volume em dinheiro. O objetivo é fazer com que mais investidores virem acionistas da companhia.

Se você tem 100 ações e cada uma custa R$ 10, você tem R$ 1 mil investidos, certo? Tempos depois, a empresa decide fazer o tal do desdobramento de ações. Ela anuncia que dividiu cada ação em duas, por exemplo. As ações são literalmente divididas, mas o valor total segue o mesmo. Então, você passa a ter 200 ações pela metade do preço inicial: R$ 5 cada. E o valor total investido não é alterado, continua R$ 1 mil.

Você pode se perguntar: se o valor continua o mesmo, para que fazer isso? O desdobramento provoca um aumento no interesse pelas ações porque alguns investidores entendem a tomada de decisão como sinônimo de sucesso lá adiante. O objetivo do desdobramento é diminuir o preço da ação. Assim, mais investidores, inclusive os pequenos, compram e vendem os ativos. Isso aumenta a liquidez  da companhia e acaba deixando mais gente interessada nestas mesmas ações.

Alguns exemplos de empresas que realizaram desdobramentos recentes são Inepar (de 1 para 20), WEG (1 para 2) e Magazine Luiza (de 1 para 4).

O contrário do desdobramento de ações é o grupamento de ações (ou inplit).

Glossário  Bolsa de Valores Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
Ifix

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) foi criado em 2012 pela B3 para mostrar o retorno médio dos fundos imobiliários.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Blue Chip

Blue chips (ou large caps) são empresas listadas na Bolsa de Valores e que têm valor de mercado acima de R$ 40 bilhões.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Oferta hostil

Também conhecida como aquisição hostil, a oferta hostil acontece quando uma empresa ou um grande investidor toma o controle de uma companhia listada em Bolsa, comprando suas ações.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Acionista

Acionista é o investidor pessoa física ou jurídica que tem uma ou mais ações – ou até frações - de uma empresa.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
B3

A B3, sigla para ‘Brasil, Bolsa e Balcão’, é a Bolsa de Valores do Brasil, que está sediada em São Paulo.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

Redação IF Publicado em 19.ago.2022 às 08h04
Alerta de seca na China e perdas no setor de tecnologia derrubam bolsas da Ásia

Onda de calor mais intensa em seis décadas pode prejudicar a expectativa de recuperação rápida da economia chinesa

Valor Econômico Atualizado em 19.ago.2022 às 06h40
Leilão de aeroportos arrecada R$ 2,72 bilhões em outorgas

Única interessada no bloco liderado por Congonhas, a espanhola Aena arrematou o lote com ágio de 231%. O certame também marcou a estreia da XP Asset no setor aeroportuário

Redação IF Publicado em 18.ago.2022 às 16h51
Juros futuros fecham em alta após megaleilão do Tesouro

Os juros futuros encerraram o pregão desta quinta-feira (18) em alta, na contramão dos rendimentos dos títulos do Tesouro americano

Itaú Meu Negócio