Quanto investir para pagar o aluguel com dividendos?

Estratégia pode ajudar quem deseja abater os gastos com moradia

Os gastos com moradia são parte importante do orçamento de qualquer pessoa. Um aluguel condizente com uma situação financeira equilibrada costuma ocupar entre 30% e 40% da renda de uma família, segundo especialistas ouvidos pelo Bora Investir.

Por isso, não é difícil imaginar uma vida mais confortável se o valor fosse utilizado para outras coisas. A opção mais óbvia é a compra da casa própria, através de um financiamento ou não. Mas, e se desse para pagar o aluguel inteiro só com os dividendos dos seus investimentos?

Algumas empresas listadas na bolsa de valores distribuem periodicamente parte dos seus lucros entre seus acionistas. Esses valores, chamados dividendos, serão proporcionais à quantidade de papéis que o investidor tem.

Como os dividendos funcionam?

Se você tem 10 ações de uma empresa que paga R$ 2,50 em dividendos por ação, receberá R$ 250 da companhia. Já quem tem 100 ações da mesma companhia vai receber R$ 2.500. 

Porém, nem todas as empresas que distribuem dividendos realizam esses pagamentos com frequência. Talvez o investidor receba esses valores semestralmente, trimestralmente ou mensalmente. Como não há a obrigação de distribuir dividendos regularmente, nada impede que uma empresa suspenda a distribuição de proventos por tempo indefinido.

Além disso, os valores variam conforme a saúde financeira da companhia e sua disposição para remunerar os acionistas. Portanto, nem sempre uma ação conhecida por repartir seus lucros com a base acionária irá oferecer dividendos gordinhos.

“Bons dividendos podem ser pontuais e não necessariamente refletir a saúde financeira de uma empresa”, diz Carol Stange, educadora financeira e consultora CVM. Ela explica que uma empresa pode distribuir dividendos mais altos para atrair investidores, mesmo que esteja enfrentando problemas financeiros, como excesso de dívidas, queda de receitas ou concorrência acirrada.

Como escolher empresas que pagam dividendos?

“Para escolher uma empresa que pague dividendos, é necessário ir além dos dividendos recentes e avaliar a saúde financeira da companhia”, explica. 

Ainda que o desempenho passado não seja garantia do futuro, a distribuição de ganhos é algo relativamente constante em certas empresas.

Por isso, se atente às principais pagadoras, analise o balanço financeiro da empresa e, depois, veja abaixo como pagar seu aluguel só com dividendos:

Quanto preciso investir para pagar o aluguel com dividendos?

Para responder a esta pergunta, é preciso considerar o preço do aluguel e quanto o investidor pode aplicar, mensalmente, no seu objetivo financeiro. 

O valor médio do metro quadrado para apartamentos de um único quarto, na cidade de São Paulo, custava R$ 56,89 em abril, segundo levantamento da QuintoAndar. Em geral, imóveis deste tipo são destinados a um ou dois moradores e têm cerca de 40 metros quadrados. Portanto, seu aluguel médio será R$ 2.275,60.

Como os dividendos, geralmente, são pagos semestralmente, o valor do aluguel precisa ser anualizado para fazer o cálculo do montante a ser investido. Neste caso, o objetivo é receber, por ano, R$ 27.307,20, em dividendos, que serão divididos pelos 12 meses do ano. 

A pedido do Bora Investir, Marcelo Milech, planejador financeiro certificado pela Planejar, fez uma simulação de quanto seria necessário investir para pagar o aluguel somente com dividendos. Considerando uma taxa de retorno por ação de 6%, o valor investido em ações necessário para pagar esse aluguel anual com dividendos será R$ 455.120,00.

Em quanto tempo consigo pagar o aluguel com dividendos?

O valor estipulado é alto e está fora da realidade da maioria dos brasileiros. Mas também é verdade que investimentos a longo prazo funcionam melhor quando os objetivos são estabelecidos o quanto antes.

Por isso, Milech também fez uma projeção, levando em conta aplicações mensais, de quanto tempo levaria para acumular o capital necessário e gerar os dividendos suficientes para pagar os gastos com moradia. 

Caso o investidor faça aplicações mensais de R$ 500, R$ 1.000 e R$ 1.500, o tempo necessário seria o seguinte:

Aporte mensal Tempo (em anos)
R$ 50029
R$ 1.00020
R$ 1.50015
Fonte: Marcelo Milech, planejador financeiro certificado pela Planejar

Como escolher ações que pagam bons dividendos?

Mais do que projetar o tempo necessário e o valor dos aportes, também é preciso selecionar empresas que tenham um bom histórico de distribuição de dividendos. As favoritas para este tipo de investimento são as chamadas “empresas perenes”, que não são tão sensíveis aos ciclos da economia.

A composição de uma carteira focada na repartição de lucros deve contar, principalmente, com setores estáveis, diz Diego Hernandez, economista e fundador da Ativo Investimentos. Nesta lista estão incluídas empresas dos ramos de commodities, energia elétrica e saneamento básico.

Empresas grandes e bem estabelecidas tendem a pagar mais dividendos, ainda que o preço de suas ações não vá crescer tanto ao longo do tempo, explica Hernandez. Por isso, setores mais cíclicos, como o de varejo e de tecnologia, devem ser evitados pelo investidor que procura distribuição de lucros a cada semestre.

“Uma empresa que paga bons dividendos é uma empresa bem vista no mercado. Na verdade, o dividendo é um chamariz para que a valorização da ação seja consistente ao longo do tempo”, completa o economista da corretora Ativo.

A estratégia de investir em ações que paguem bons dividendos deve mirar o longo prazo, explica. “Não adianta comprar uma ação hoje pensando no dividendo do próximo mês porque esse valor será descontado do preço da ação”. 

Além disso, o especialista destaca a importância de um portfólio equilibrado para suportar a volatilidade. “É muito importante que o investidor tenha seu risco muito bem calibrado e um bom colchão na renda fixa”, recomenda.