Juro do cartão de crédito rotativo sobe para 399,5% ao ano em outubro; saiba como evitá-lo

A taxa de juros do cartão de crédito rotativo variou de 390,7% ao ano em setembro para 399,5% em outubro

O cartão de crédito pode ser uma mão na roda para quem sabe usá-lo com consciência. O problema, claro, é quando o valor da fatura é maior do que o poder aquisitivo do consumidor. Aí, a opção é usar o chamado crédito rotativo.

Então, vale saber que o rotativo nada mais é do que a linha de crédito pré-aprovada no cartão e que inclui também saques feitos na função crédito do meio de pagamento.

No caso de inadimplência do cliente, o banco deverá parcelar o saldo devedor ou oferecer outra forma para quitar a dívida em condições mais vantajosas dentro de 30 dias.

Juro do cartão de crédito rotativo sobe em outubro

Diante disso, e independentemente de qual opção o consumidor escolha para seguir pagando as dívidas, é importante ficar atento às taxas que envolvem os boletos.

Afinal de contas, de acordo com o BC, em outubro, o juro do cartão de crédito rotativo subiu para 399,5%. Para se ter uma ideia, em setembro, a taxa foi de 390,7%. Ou seja, um aumento de quase 9% de um mês para o outro.

Por outro lado, a taxa do parcelado do cartão variou de 185,6% para 184,5%. Assim, a taxa de juros total do cartão de crédito variou de 89,8% para 95% em outubro.

Já no cheque especial, a taxa de juros cobrada foi de 134,3%, vinda de 132,5% em setembro.

Como evitar o crédito rotativo?

O primeiro passo para não entrar na roubada de usar o crédito rotativo é ter, claro, planejamento financeiro.

Portanto, faça um detalhamento minucioso do que está na futura do cartão de crédito. Uma boa dica é usar uma planilha e colocar ali todos os gastos, separadamente.

Dessa maneira, fica mais fácil identificar quais são os gastos que se repetem, como compras parceladas (que irão comprometer a fatura nos próximos meses), assinaturas de serviços, entre outros.

A partir daí, é hora de verificar o que pode ser cortado ou substituído por algo mais em conta. Com certeza deve ter algum serviço aí que está sendo pago, mas pouco usado.

Em seguida, faça uma projeção das próximas faturas do cartão de crédito. Inclusive, coloque estimativas de despesas que sabe que terá ou que quer ter a cada mês.

E aí, a dica é fazer isto todos os meses, até virar um hábito e ficar mais fácil de ter o controle financeiro, e claro, evitar o crédito rotativo.