‘Ratinho das finanças’ deixa metade do patrimônio em papel moeda

Jim Cramer, showman da Bolsa nos EUA, adotou a estratégia por motivos técnicos. Mas será que vale para todos?

Pontos-chave

  • Para evitar um conflito de interesses, Cramer não tem permissão para ter ações
  • A decisão foi tomada em conjunto com a mulher, Lisa

Os espectadores do programa de negociação de ações da CNBC Mad Money podem se surpreender ao saber que o apresentador Jim Cramer, uma espécie de “Ratinho das finanças”, não negocia ações individuais e mantém metade de seu portfólio em dinheiro. Se você não conhece, vamos te contar um pouco sobre quem ele é e a importância de Cramer para o mercado financeiro norte-americano. Cramer é analista certificado e apresentador do programa Mad Money, além de também comandar o programa Squawk on the Street, os dois da CNBC, emissora líder em notícias de negócios e cobertura do mercado financeiro em tempo real. A principal característica de Cramer é seu estilo: debochado, ele grita o tempo todo, recomendando a venda ou a compra de algum papel. Seus quase 2 milhões de seguidores do Twitter vão à loucura.

Como está distribuída a fortuna de Jim Cramer?

A estratégia de investimentos de Cramer surpreendeu seus seguidores e investidores de um modo geral. Ele distribui seu patrimônio da seguinte forma:

  • 50% em dinheiro
  • 40% em fundos de índice dos Estados Unidos
  • 5% em fundos de índices internacionais
  • 5% em ouro e criptomoedas

De tudo isso, a surpresa ficou no item número 1: metade de tudo o que ele tem está em dinheiro. Sim: em papel moeda. Parte do motivo é técnico. Para evitar um conflito de interesses na emissora CNBC, Cramer não tem permissão para possuir ações individuais que possam ser discutidas em seu programa.

Ainda sobre os 50% do montante guardado em dinheiro, ele também atribui a decisão à sua esposa Lisa, com quem se casou em 2015. “Sou casado, e minha esposa e eu nos sentamos e discutimos nossas finanças”, disse Cramer à CNBC Make It. “Quando fiz 65 anos, ela me disse: ‘O que acontece se eu viver mais que você?’.”

“Eu disse: ‘Bem, isso seria ótimo.’ E ela perguntou: ‘Mas o que acontece se eu possuir uma carteira de ações? O que acontece se o mercado ficar ruim depois que você morrer? Achei que fôssemos parceiros’”.

“Somos parceiros”, lembra Cramer de ter dito. “Mas eu gasto meu tempo dizendo às pessoas como lidar com o mercado”, disse ele, referindo-se à sua longa carreira como profissional financeiro, autor e apresentador de programas de TV.

“Lisa disse: ‘Eu não me importo com nada disso. Somos parceiros. Então, estou tomando uma decisão executiva: 50% disso é seu e 50% é meu. E os 50% que eu tenho serão em dinheiro’”.

Quando Cramer apontou como o mercado estava indo bem na época, ela disse: “Você está perdendo meu ponto. Somos parceiros? Ou estamos separados?”.

“Somos parceiros”, respondeu Cramer.

“Então nossas decisões devem ser 50/50”, disse Lisa.

Anteriormente, Cramer havia investido 100% do capital, mas concordou em transferir metade de sua carteira para dinheiro.

“Eu fiz isso”, disse Cramer, que logo emendou, “e o mercado subiu”. “Mas ela apenas disse: ‘Ótimo. Sua metade subiu. Mas eu consigo dormir à noite, e antes não conseguia’”

Cramer ainda lamenta o potencial de ganhos perdidos de manter esse dinheiro de lado, mas disse que há “coisas maiores na vida do que dinheiro” e ele é “casado e feliz”. Além de que, “felicidade é muito bom ter”.

Ter dinheiro em papel moeda está completamente fora de cogitação em países instáveis e de economia imprevisível como o Brasil. Por aqui, o assunto vira e mexe é motivo de chacota, como acontece no final de “O auto da compadecida”, obra de Ariano Suassuna. Nela, os personagens Chicó e João Grilo recebem como dote uma porca recheada de dinheiro… antigo, que somado não daria para comprar um pão quente.

De toda forma, seria interessante ver o montante de Cramer guardado. Apenas ver. E talvez sonhar.

Com conteúdo do site Valor Investe, um veículo Globo Notícias


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 15h36
Muitos investidores de criptomoedas não sabem o que estão comprando, diz dirigente do BoE

Jon Cunliffe, do banco central britânico, intensificou o pedido para que as autoridades regulem os criptoativos

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 14h22
Nubank: analistas veem resultados positivos, mas inadimplência gera cautela

Desde o IPO, em 8 de dezembro, quando foi precificado a US$ 9, o papel do banco digital acumula queda de 50,2%

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 11h27
Ibovespa opera em alta e busca retomar marca de 110 mil pontos

Bolsa busca quinto dia de ganhos, em meio ao alívio no exterior

Valor Econômico Publicado em 17.maio.2022 às 07h47
Maior parte das ações na Bolsa acumula queda desde início de 2021

Das 100 ações do IBrX, 64 têm perda no período

Diogo Rodriguez Publicado em 16.maio.2022 às 17h04 Duração 1 min.
O que é investir? Basicamente, é emprestar dinheiro

A gente ouve falar muito em investimentos. Mas o que é investir? O que significa esse ato? Veja mais no Me Explica na IF

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 16h08
Por dentro de uma reunião dos devedores anônimos

Irmandade ajuda as pessoas a se livrarem do vício das compras

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 15h16
Estrangeiros já sacaram R$ 12,6 bilhões da Bolsa em maio

Movimento positivo no ano diminuiu para R$ 45,03 bilhões