Com quem ficam seus investimentos quando você morrer?

Se os ativos não forem distribuídos em testamento, eles entram no bolo do inventário

O que fazer com investimentos em caso de morte?
– Ilustração: Renata Miwa

Pontos-chave

  • O titular pode definir o direcionamento e a forma de acesso aos montantes para cada herdeiro
  • A abertura do processo de inventário pode bloquear contas e aplicações

Avaliar perfil de risco, escolher o ativo mais adequado para um objetivo e estabelecer o prazo em que o dinheiro permanecerá aplicado estão entra as recomendações primordiais dos especialistas dentro da jornada de investimentos. Outros fatores, bem mais burocráticos e até mesmo indesejáveis, também precisam estar no radar das suas obrigações. Uma questão que você não pode deixar de lado é: o que vai acontecer com as aplicações se você morrer?

Bernardo Ottoni, sócio de Wealth Planning e Legal da Vêneto Family-Office, aponta que o assunto é de extrema importância e, por isso, é aconselhável fazer um planejamento o quanto antes. Por quê? Para definir qual herdeiro ficará com qual investimento, organizar os ativos financeiros e distribuir o patrimônio acumulado em vida de acordo com os desejos e preocupações do dono da carteira.

O testamento é o principal instrumento jurídico para isso, destaca o especialista. “O titular pode definir o direcionamento e a forma de acesso aos montantes para cada herdeiro”, aponta Ottoni. “Ajuda na preservação dessa parcela de investimento, pois em certos casos retardar ou fracionar o acesso dos herdeiros à liquidez pode ser importante para evitar uma dilapidação patrimonial”, acrescenta.

E se não houver uma definição formal da partilha?

Se nada for definido em vida, conta o profissional da Vêneto, serão seguidos os trâmites previstos em lei, com a abertura do processo de inventário (extrajudicial ou judicial) e a aplicação das regras padrões de partilha de bens. “As contas correntes e de investimento serão bloqueadas até o fim dos trâmites legais, não sendo possível efetuar quaisquer resgates ou realocação dos investimentos”, explica. “Até mesmo os saques de saldo em conta ocorrerão apenas com autorização do juízo”, reforça.

Qual pode ser o efeito das burocracias?

Em regra, o avanço do inventário é extremamente demorado. O motivo é que o responsável pela burocracia vai precisar entrar em contato com todos os bancos, corretoras, seguradoras, entidades de previdência complementar, entre outras instituições financeiras em que a pessoa que faleceu eventualmente tinha contas ou investimentos. Além disso, o processo pode envolver disputa entre familiares.

Bernardo Ottoni esclarece que, no caso de vencimento de aplicações ou juros e dividendos pagos nessas contas, esses valores somente poderão ser aplicados em produtos de investimento de baixo risco e liquidez diária até o desfecho de todas as pendências. “O que pode fazer com os novos titulares percam oportunidades de investimentos com aqueles valores recebidos como herança. Ou seja, pode representar uma relevante perda de rentabilidade dos investimentos deixados pelo titular”, completa.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 09h28
Rio ou São Paulo: onde o aluguel é mais barato?

Se for para investir, cuidado. Até a poupança tem rentabilidade melhor do que a locação

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras

íon Itaú Atualizado em 20.maio.2022 às 07h15
O que explica o bom desempenho dos fundos multimercados desde o início de 2022?

Mesmo com o cenário de alta volatilidade e incerteza na economia global, o primeiro quadrimestre registrou o melhor início de ano para esta classe desde 2009

Glossário IF Publicado em 19.maio.2022 às 17h57 Duração 3 min.
O que é a Anbima?

Essa organização representa bancos, gestoras, corretoras, distribuidoras e administradoras

Anne Dias Publicado em 19.maio.2022 às 16h31
Dica do especialista: conheça os bastidores do nascimento do Plano Real

Muito do que vivemos hoje nasceu naquele período, mostra o livro Saga brasileira, de Miriam Leitão