Crescimento do metaverso estimula disputa bilionária por desenvolvedores de jogos

Gigantes da tecnologia travam uma batalha acirrada na busca por profissionais experientes

Metaverso
– Ilustração: Inteligência Financeira

Pontos-chave

  • Citigroup vê a economia do metaverso crescer potencialmente em até US$ 13 trilhões até 2030
  • Habilidades aprimoradas na indústria de jogos podem ser facilmente aproveitadas em aplicativos do metaverso

Os recentes acordos extravagantes na indústria de videogames mostram que a corrida por profissionais experientes em desenvolvimento de jogos está mais acirrada do que nunca, especialmente porque a tendência do metaverso empurra empresas de outros setores para o pool de talentos.

Com a aquisição da Bungie por US$ 3,6 bilhões, o Sony Group está de olho no talento responsável pela criação de franquias com bases de fãs em todo o mundo, como Destiny e Halo.

Cerca de um terço do preço de compra – US$ 1,2 bilhão – será destinado à retenção dos cerca de 900 funcionários da Bungie, chegando a cerca de US$ 1,3 milhão cada. A Sony Interactive Entertainment comprará ações da Bungie de capital fechado de funcionários e oferecerá compensação adicional ao longo de vários anos para permanecer após a aquisição.

O acordo “está estruturado para incentivar os acionistas e outros talentos criativos a continuar trabalhando na Bungie após o fechamento da aquisição”, disse o diretor financeiro da Sony, Hiroki Totoki, em fevereiro.

A Microsoft enfatizou o “talento de classe mundial” da Activision Blizzard em janeiro deste ano ao anunciar planos de gastar US$ 68,7 bilhões para o desenvolvedor, cujos cerca de 10 mil funcionários estão concentrados principalmente na América do Norte e na Europa.

A aquisição de estúdios de jogos com histórico comprovado está entre as maneiras pelas quais as empresas estão competindo por talentos para garantir uma fatia maior do crescente mercado de videogames. O mercado global aumentou para cerca de US$ 200 bilhões segundo algumas estimativas, impulsionado pela pandemia de coronavírus, que manteve os consumidores confinados em casa.

A remuneração é outro grande incentivo

Os salários dos desenvolvedores de jogos são em média mais de US$ 90 mil por ano nos Estados Unidos, de acordo com dados do site de busca de emprego Indeed – cerca de 30% acima da média nacional fornecida pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

No Japão, a Capcom está aumentando os salários-base para funcionários em tempo integral em 30%, em média, e a Sega está oferecendo remuneração vinculada ao desempenho.

A ascensão do metaverso tornou a competição ainda mais intensa. O Citigroup vê a economia do metaverso crescer potencialmente em até US$ 13 trilhões até 2030. O Facebook disse que planeja contratar 10 mil pessoas apenas na Europa para “ajudar a construir o metaverso”.

As habilidades aprimoradas na indústria de jogos podem ser facilmente aproveitadas em aplicativos do metaverso. Funcionários experientes podem usar ferramentas de geração de imagens por computador (CGI) para criar espaços virtuais e avatares baseados em personagens ou pessoas reais, ou analisar a atividade do usuário para ajudar a manter os serviços funcionando.

À medida que mais empresas olham para o metaverso como uma nova maneira de se conectar com os consumidores, crescem as oportunidades para os desenvolvedores de jogos usarem seus talentos em diferentes setores.

Um anúncio de emprego da Nike para um “designer de jogos 3D/engenheiro metaverso” busca vários anos de experiência em desenvolvimento de jogos, juntamente com a compreensão das “mais recentes tendências, técnicas e tecnologias de jogos”.

A experiência com espaços virtuais que emulam a física do mundo real pode ser usada em uma variedade de campos que envolvem a simulação da realidade. O chefe de desenvolvimento de sistemas de direção autônoma da fabricante de autopeças japonesa Denso tem experiência na indústria de jogos.

Kazuki Harada, do Mynavi Creator, um serviço de recrutamento administrado pela japonesa Mynavi Works, vê a experiência na indústria de jogos como potencial para uma carreira ao longo da vida, apontando para a criatividade do talento no campo.

“Mas muitos desenvolvedores não perceberam que a experiência na produção de jogos pode ser usada em outros campos”, disse Harada.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 17h39
Juros futuros fecham em forte queda, com expectativas de inflação no foco

Mercado vê que a inflação pode ser impactada por possível alíquota máxima de 17% do ICMS cobrado sobre energia, telecomunicações, combustíveis e energia

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global