Como declarar os ativos de renda variável no Imposto de Renda 2022?

Não importa se você ganhou ou perdeu dinheiro com a volatilidade: você tem que declarar todos os ativos

Imposto de Renda, Ações, Renda Variável, Papéis, Investimentos, Bolsa de Valores, Dúvidas, Declaração, Onde Investir, Como declarar, Imposto
– Ilustração: Felipe Mayerle

Pontos-chave

  • As informações sobre os investimentos precisam ser detalhadas na declaração anual
  • Todos os investimentos que estavam na sua carteira em 31 de dezembro de 2021 devem ser declarados na ficha “Bens e Direitos”

Se você tem qualquer investimento na Bolsa de Valores, está automaticamente obrigado a entregar declaração do Imposto de Renda. E tem mais: não importa se ganhou ou perdeu dinheiro. Você precisa declarar tudo o que investiu e que é classificado como renda variável para o Leão. Confira a seguir um passo a passo para organizar as informações que devem ser preenchidas na declaração:

DARF x declaração anual

Muita gente se confunde na hora de fazer a declaração porque em diversos investimentos de renda variável, como ações e BDRs, o imposto já foi calculado e pago via DARF. Fique atento porque mesmo que você tenha pagado os impostos, as informações sobre os investimentos precisam ser detalhadas na declaração anual.

Documentos específicos

Para fazer a declaração de renda variável no IRPF 2022 você vai precisar destes documentos:

  • notas de corretagem de cada operação feita em 2021;
  • darfs pagos;
  • cálculos mensais de lucro ou prejuízo divididos por tipo de operação;
  • informes de rendimentos fornecidos pelas corretoras;
  • informativos de rendimentos das empresas em que você investe.

Divisão de informações

A declaração de renda variável no Imposto de Renda tem regras bem específicas. A lógica, porém, é que você tenha de informar a situação (ou posse) dos ativos, seus rendimentos (tributáveis e isentos) e vendas (se houver).

Bens e direitos

Os investimentos que estavam na sua carteira em 31 de dezembro de 2021 devem ser declarados na ficha “Bens e Direitos”. Atenção, porque aqui devem estar todos os investimentos que faziam parte da sua carteira naquela data, não importando a data de compra de cada um. É importante inserir os códigos corretos para cada tipo de investimento.

Rendimentos isentos e tributáveis

Em renda variável, os rendimentos incluem os dividendos recebidos e ainda o lucro que você tem quando vende um ativo por preço maior do que pagou. Dividendos de ações e vendas de papéis com valor total de até R$ 20 mil por mês, por exemplo, são isentos e entram na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Já Juros Sobre Capital Próprio, outro exemplo, são tributáveis e devem ser declarados na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

Venda de ativos

A venda de ativos – e seu lucro ou prejuízo – deve ser informada mês a mês, inclusive com os valores de impostos pagos via DARF. A maior parte das transações de renda variável entra na ficha “Renda Variável”. Fundos de investimentos e criptomoedas, porém, têm campos específicos. Fique atento.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 17h52
Ibovespa sobe 1,39% com alta das commodities; na semana, avanço é de 1,46%

Investidores estão otimistas com a retomada dos estímulos econômicos pela China

JOTA Atualizado em 21.maio.2022 às 07h47
Análise: Como mitigar os efeitos da inflação no seu bolso?

Correção dos rendimentos pela inflação os leva à faixa superior da tabela progressiva do IR

Leonardo Guimarães Atualizado em 18.maio.2022 às 14h30