Netflix: é hora de vender ou comprar ações da companhia?

Plataforma teve uma semana amarga em NY e acumula perdas de 40%

Pontos-chave

  • No próximo trimestre há expectativa de uma perda de 2 milhões de assinantes
  • A empresa deve lançar pacotes mais baratos e apertar o cerco ao compartilhamento de senhas

As ações da Netflix tiveram mais um dia amargo em Nova York nesta quinta-feira (21), acumulando perdas de quase 40% desde que a companhia divulgou os resultados financeiros e operacionais do primeiro trimestre de 2022, na terça-feira, após o encerramento do pregão.

Os papéis chegaram a cair 6,5% ao longo desta quinta, recuando perto de 2%, acima de US$ 221, menor valor desde janeiro de 2018.

A gigante do streaming perdeu 200 mil assinantes em todo o mundo, indo contra as projeções e expectativas de analistas e investidores. Além disso, a receita trimestral ficou abaixo dos US$ 7,9 bilhões esperados, fechando em US$ 7,8 bilhões. 

O que motivou a queda das ações da Netflix?

Dois motivos causaram a perda de assinantes: o compartilhamento de senhas e a inflação nos mercados onde ela atua, como Estados Unidos e Brasil. A perda de assinantes é inédita em mais de uma década. Em meio a esse cenário, o que você, investidor e investidora que já tenha Netflix na carteira ou esteja pensando em comprar esses papéis, deve fazer? Leia abaixo as recomendações de Cesar Crivelli, sócio e analista da casa de análise Nord Research:

Comprar ou vender títulos da Netflix?

Não recomendamos vender. Pelo contrário: o melhor a fazer neste momento é comprar os papéis da Netflix. Temos a Netflix na carteira e vemos essa fraqueza de curto prazo como uma oportunidade para os investidores aumentarem a exposição ao papel.

Por que é hora de comprar ações da Netflix?

Basicamente porque os números do trimestre em termos de receita não foram ruins, nem em termos de margem. O que desanimou muito o mercado foi que a empresa tinha dado uma perspectiva de aumentar o número de assinantes, algo em torno de 2,5 milhões, mas ela perdeu 200 mil. No próximo trimestre há expectativa de uma perda de 2 milhões de assinantes e o mercado esperava uma alta de 1 milhão. Vale lembrar que a gente está passando por um momento macro muito difícil, com uma inflação altíssima ao redor do mundo, a renda real das pessoas sendo corroída e que a assinatura da Netflix é um serviço discricionário. Ela não vende um serviço necessário. Então, tendo outras prioridades, as pessoas acabam optando por realizar cortes. Mas essa é uma fraqueza momentânea e macroeconômica.

Quais são as perspectivas para Netflix?

A empresa já avisou que vai continuar subindo os preços para recompor margem, um movimento que praticamente todas as companhias mundiais têm feito. Os custos no geral estão subindo, então, é uma troca: subir preço e perder um pouco de cliente no curto prazo, ao invés de simplesmente manter o preço ou abaixar o preço para ganhar cliente. Isso também desanimou o mercado. Mas o que a gente acha bem interessante, que faz sentido comprar Netflix, é que finalmente a empresa decidiu correr atrás de uma receita que estava na mesa, mas ela não vinha incomodando muito até então, e que, de certa forma, respeitou as pessoas que compartilham as senhas. A empresa estima que hoje mais ou menos 100 milhões de pessoas, ou seja, metade do que eles têm na base tem acesso a Netflix pelo compartilhamento de senhas. Já há alguns testes desde o trimestre passado aqui na América Latina pra implementar uma barreira  das senhas que são compartilhadas fora do mesmo domicílio. Obviamente a empresa vai cobrar uma taxa extra para que as pessoas que queiram ter mais algum agregado naquele pacote possam efetivamente fazê-lo. Isso deve aumentar a receita, sem que o custo aumente.

Quais são os planos da Netflix?

A empresa pretende lançar pacotes mais baratos, que por sua vez teriam anúncios entre as séries, dentro de um episódio, ou de um filme. Isso obviamente piora um pouco a experiência do consumidor. Mas, por outro lado, a pessoa vai pagar mais barato e a gente já tem visto isso mundo afora funcionar, principalmente na Disney e na HBO. Tudo isso gera valor no longo prazo e que essa tempestade perfeita de curto prazo. A gente viu grandes sucessos sendo lançados no ano e a segunda metade do ano é sempre mais forte em conteúdo para Netflix.

Como comprar ações da Netflix?

Se você, investidor e investidora, considera que ter esses papéis em carteira é interessante para seus objetivos, prazos e riscos, saiba que existem duas maneiras de comprar essas ações:

  1. pela Nasdaq, mas é preciso ter conta em uma corretora ou banco internacional, e, neste caso, há cobrança de IOF de 0,38% e Imposto de Renda mensal de 15% a 22,5%, conforme o valor investido.
  2. via BDRs que estão listados na Bolsa de Valores brasileira, com o ticker NFLX34. Neste caso, a negociação é feita por corretoras.

Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Valor Econômico Publicado em 17.maio.2022 às 07h47
Maior parte das ações na Bolsa acumula queda desde início de 2021

Das 100 ações do IBrX, 64 têm perda no período

6 min
Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 20h04
3 min
Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 19h58
Twitter tem sétimo dia de queda e recua 8,2% em NY em meio a incertezas de aquisição

Elon Musk disse que as negociações estão suspensas até ter mais dados sobre a atuação de contas falsas na plataforma

1 min
Diogo Rodriguez Publicado em 16.maio.2022 às 17h04 Duração 1 min.
O que é investir? Basicamente, é emprestar dinheiro

A gente ouve falar muito em investimentos. Mas o que é investir? O que significa esse ato? Veja mais no Me Explica na IF

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 15h25
Ações da Infracommerce têm forte queda após notícia de demissões na empresa

Os desligamentos teriam ocorrido por conta de 'mudanças no orçamento'

1 min