Investidores trocam fundos de ação por renda fixa

Levantamento da Anbima mostra saída de R$ 426,4 milhões dos fundos de ações e entrada de R$ 275,2 bilhões nos de renda fixa entre janeiro e novembro. Saiba o que analisar quando um fundo dá retorno negativo

Fundos de Investimento; O sobe e desce da indústria de fundos.
– Ilustração: Marcelo Andreguetti

Pontos-chave

  • Os resultados dos últimos meses podem não representar os reais riscos da estratégia, nem o potencial de ganho
  • Uma boa análise leva em consideração a estratégia do fundo e a administração do gestor

Com a alta da Selic, os investidores não pensaram duas vezes e estão trocando fundos de ação pelos de renda fixa. Pudera: os juros básicos da economia, que balizam financiamentos e aplicações financeiras, saíram de 2% no começo de 2021 e foram para 9,25%. Enquanto isso, o Ibovespa está negativo em 11,36%.

Agora vamos ver o que os investidores fizeram: segundo a Anbima, os investidores tiraram R$ 426,4 milhões dos fundos de ações neste ano até novembro. E investiram R$ 275,2 bilhões em fundos de renda fixa no mesmo período. Isso porque os fundos de ações estavam indo bem, com uma captação positiva de R$ 5,7 bilhões até então. Os fundos de renda fixa representam 38% do patrimônio líquido de toda a indústria. O relatório completo da Anbima você pode conferir aqui.

Fundos de investimento são parte da diversificação

Sempre que um fundo, seja de renda fixa ou variável, dá um retorno negativo é normal que você se assuste. E isso está correto, mas você pode levar alguns pontos em consideração para não perder o sono. Os resultados dos últimos meses de um fundo podem não representar os reais riscos que a estratégia de investimentos traz, nem o potencial de ganho que o fundo pode agregar à sua carteira. Segundo especialistas em mercado financeiro, o resultado de um determinado período não é o aspecto mais importante na análise de um fundo de investimento. Um fundo não pode ser pensado de maneira isolada. Precisa ser analisado dentro do contexto de diversificação da carteira, vendo o quanto ele vai agregar e qual a relação de risco e retorno.

Não olhe só para o passado

Se um fundo não foi bem nos últimos meses, não significa que ele seja uma opção ruim para sua carteira. Uma boa análise leva em consideração também outros pontos, como a estratégia daquele fundo, o processo de investimento, seu gestor, a equipe envolvida e qual a proposta ele traz. Há ainda o contexto do cenário econômico, que pode contribuir positivamente ou negativamente para o resultado do fundo. Assim, você consegue ter uma ideia do que está por vir e se faz ou não sentido ter essa estratégia dentro da sua carteira de investimentos.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Manhã Inteligente Publicado em 23.maio.2022 às 11h02
Dados da inflação, Fórum Econômico Mundial, preços dos combustíveis

Isabella Carvalho e Victor Vietti falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos

Redação IF Publicado em 23.maio.2022 às 10h20
Redação IF Publicado em 23.maio.2022 às 09h29
Quais ativos estão na mira dos gestores e quais geram mais pessimismo?

Mapeamento revela as expectativas para 33 investimentos