Fundos multimercados: opção para diferentes perfis de investidores

Sem seguir regras específicas de composição de carteira, este ativo ajuda na diversificação dos seus investimentos

Pontos-chave

  • O gestor tem autonomia para investir em todas as classes de ativos, em qualquer proporção
  • Toda estratégia está definida no regulamento de cada fundo

No fundo multimercado, o gestor mistura vários tipos de ativos, como ações, títulos de renda fixa e moedas. Como as proporções dessa mistura variam, também varia o risco de cada fundo. Assim, o multimercado atende a todos os tipos de investidores, desde os conservadores aos mais arrojados.

Ao contrário dos fundos de renda fixa, que precisam ter 80% do patrimônio investido na própria renda fixa, e dos fundos de ações, que devem ter 67% dos seus investimentos alocados em renda variável, os multimercados não precisam seguir regras específicas de composição de carteira. As estratégias de alocação do fundo multimercado dependem apenas da opção escolhida pelo gestor, e é devidamente estabelecida no regulamento de cada fundo.

Uma vez que não há estratégias de composição estabelecidas para o portfólio do fundo, é possível encontrar fundos multimercados com estratégias muitas vezes tão conservadoras quanto os fundos de renda fixa, e fundos com estratégias mais arrojadas, às vezes até mais arriscadas que os fundos de ações.

Como escolher a melhor opção

Para escolher um fundo, é fundamental prestar atenção à volatilidade esperada e ao prazo de resgate. Além disso, é essencial conhecer a reputação do gestor, já que é ele quem irá definir, de acordo com o cenário econômico do momento, a estratégia de aplicação dos recursos dos investidores (também chamados de cotistas, já que são donos de partes, ou cotas, do fundo). Um bom gestor consegue ganhar dinheiro até mesmo em períodos de baixa no mercado e em crises, por exemplo. A flexibilidade inerente ao fundo multimercado permite com que o gestor mude rapidamente de aplicação, caso perceba que a estratégia inicial não está funcionando. A remuneração do gestor vem de uma taxa de administração cobrada de cada cotista.

Em muitos casos, é cobrada ainda uma taxa de performance, que é um bônus para o gestor quando a rentabilidade do fundo supera a do seu índice de referência, o chamado benchmark. Decidido desde a formação do fundo, o benchmark pode ser a taxa DI, que corresponde aos juros do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), ou o Ibovespa, o índice de ações da Bolsa brasileira. Os fundos multimercados podem ser uma boa escolha para o investidor que deseje diversificar o portfólio.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 15h36
Muitos investidores de criptomoedas não sabem o que estão comprando, diz dirigente do BoE

Jon Cunliffe, do banco central britânico, intensificou o pedido para que as autoridades regulem os criptoativos

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 14h22
Nubank: analistas veem resultados positivos, mas inadimplência gera cautela

Desde o IPO, em 8 de dezembro, quando foi precificado a US$ 9, o papel do banco digital acumula queda de 50,2%

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 11h27
Ibovespa opera em alta e busca retomar marca de 110 mil pontos

Bolsa busca quinto dia de ganhos, em meio ao alívio no exterior

Valor Econômico Publicado em 17.maio.2022 às 07h47
Maior parte das ações na Bolsa acumula queda desde início de 2021

Das 100 ações do IBrX, 64 têm perda no período

Diogo Rodriguez Publicado em 16.maio.2022 às 17h04 Duração 1 min.
O que é investir? Basicamente, é emprestar dinheiro

A gente ouve falar muito em investimentos. Mas o que é investir? O que significa esse ato? Veja mais no Me Explica na IF

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 15h16
Estrangeiros já sacaram R$ 12,6 bilhões da Bolsa em maio

Movimento positivo no ano diminuiu para R$ 45,03 bilhões