Fundo de investimento: o que fazer quando o rendimento deu negativo no último ano?

Já te adiantamos: o resultado em um determinado período não é o aspecto mais importante na análise de um fundo

Pontos-chave

  • Ao analisar os dados dos últimos doze meses, alguns fundos acabam registrando prejuízo aos investidores
  • Os resultados também dependem da estratégia de cada fundo, dos gestores, das exposições na carteira, do prazo e da política de investimento

Com o crescimento expressivo do mercado de fundos de investimentos, a modalidade passou a atrair muita gente. Têm opções para todos os gostos: desde fundos de renda fixa, fundos de ações, até os fundos imobiliários  e fundos multimercados. Segundo um levantamento feito pela Economatica, a indústria de fundos no Brasil cresceu 3,2% no terceiro trimestre de 2021, registrando 29,2 milhões de cotistas — um crescimento de 900 mil pessoas comparado ao trimestre anterior. 

Mas, nem tudo são flores. Ao analisar os dados dos últimos doze meses, alguns fundos acabam registrando prejuízo aos investidores, tendo uma rentabilidade negativa. “A instabilidade no cenário econômico global interfere de forma direta nos resultados da indústria de fundos de investimentos. Essa interferência pode ser tanto positiva como negativa. Um cenário incerto tende a causar mais resultados negativos”, explica Rafael Galdin, especialista em renda fixa e COE da Quattro Investimentos. 

Por outro lado, não podemos generalizar. Os resultados também dependem da estratégia de cada fundo, dos gestores, das exposições na carteira, do prazo e da política de investimento. “Os fundos podem ter alocações nos mais distintos mercados, então os resultados também serão diferentes. O que dá para dizer é que os fundos de ações brasileiras sofreram bastante, pois são fundos comprados em Bolsa. Já os fundos atrelados à inflação conseguiram surfar um momento mais interessante”, ressalta o especialista. 

É preciso ter visão de longo prazo?

Sim. Isso porque os resultados dos últimos meses podem não representar os reais riscos que a estratégia de investimentos traz, nem o potencial de ganho que o fundo pode agregar à carteira do investidor. “O resultado de um determinado período por si só não é o aspecto mais importante na análise de um fundo de investimento. Um fundo não pode ser pensado de maneira isolada. Precisa ser analisado dentro do contexto de diversificação da carteira, vendo o quanto ele vai agregar e qual a relação de risco e retorno”, diz Rafael.

Ou seja, se um fundo não foi bem nos últimos meses, não significa que é uma opção ruim para uma carteira de investimentos. Uma boa análise leva em consideração também outros pontos, como a estratégia daquele fundo, o processo de investimento, seu gestor, a equipe envolvida e qual a proposta ele traz. 

“Conhecendo todos esses aspectos, você pode inseri-los no contexto do cenário econômico, entendendo se esse cenário contribuiu positivamente ou negativamente para o resultado do fundo”, explica Rafael. Assim, consegue ter uma ideia do que está por vir e se faz ou não sentido ter essa estratégia dentro da sua carteira de investimentos.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Valor Econômico Publicado em 17.maio.2022 às 07h47
Maior parte das ações na Bolsa acumula queda desde início de 2021

Das 100 ações do IBrX, 64 têm perda no período

Diogo Rodriguez Publicado em 16.maio.2022 às 17h04 Duração 1 min.
O que é investir? Basicamente, é emprestar dinheiro

A gente ouve falar muito em investimentos. Mas o que é investir? O que significa esse ato? Veja mais no Me Explica na IF

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 15h16
Estrangeiros já sacaram R$ 12,6 bilhões da Bolsa em maio

Movimento positivo no ano diminuiu para R$ 45,03 bilhões

Manhã Inteligente Publicado em 16.maio.2022 às 10h50
Greve no Banco Central, dados econômicos de Brasil e EUA, novo índice agro na B3

Isabela Carvalho e Victor Vietti comentam esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos