Câmbio sobe, câmbio cai: afinal, é hora de investir em dólar?

Completando 230 anos, moeda pode ser uma maneira para diversificar a carteira

Aniversário do dólar: vale a pena investir na moeda?
– Ilustração: Renata Miwa

Pontos-chave

  • A queda do preço aconteceu por conta das commodities e da taxa de juros no Brasil
  • No médio e longo prazos, só a variação cambial já é maior que a inflação

O dólar está fazendo aniversário: são 230 anos de existência da moeda mais conhecida ao redor do mundo e a principal no mercado de câmbio. Quem acompanha o ativo já reparou que ele tem passado por um período de forte volatilidade nos últimos meses. “Diversos fatores contribuem para isso. A queda significativa que a moeda teve neste ano aconteceu por conta do aumento das commodities e da taxa de juros no Brasil, além das taxas mais baixas nos Estados Unidos. Agora, a subida de juros por lá deve mexer com o mercado”, destaca Leandro Sobrinho, especialista em investimentos e sócio da Raise Investor.

O Fed, Banco Central americano, já sinalizou que pretende fazer mais aumentos da taxa de juros no país. Segundo Sobrinho, isso faz com que os investidores prefiram permanecer em uma economia mais segura, saindo de países emergentes — o que mexe também com o valor da moeda americana. “Também teremos eleições no Brasil. Isso historicamente traz volatilidade para o mercado. Acredito que teremos um ano bem turbulento”, ressalta. 

Dólar como proteção?

Diversificar os investimentos e aportar em ativos dolarizados, segundo o especialista, pode ser uma alternativa para proteger o patrimônio. “Diversificar não é só variar na renda fixa e variável, mas também mudar de economia e de posicionamento de mercado. Investir em dólar é uma estratégia de proteção. O dólar é uma moeda forte. Se você tem uma parte do seu patrimônio dolarizada, tem também um equilíbrio em momentos de incertezas”, explica. 

Por que fazer uma diversificação internacional?

A diversificação internacional pode ser usada como uma forma de proteger o patrimônio dos riscos de um só país e moeda. Porém, é preciso ter em mente que investir em dólar tem seus riscos, já que o valor dele depende da situação econômica do nosso país e dos Estados Unidos. A dica é fazer o investimento pensando no longo prazo. “Como existe variação cambial e o mercado oscila bastante, você pode sofrer uma variação negativa se precisar resgatar em um momento inadequado. Historicamente, no médio e longo prazos, só a variação cambial já é maior que a inflação corrigida no Brasil”, ressalta Sobrinho.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

2 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

3 min
Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

3 min
Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

4 min
Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h12
Grandes investidores ampliam dinheiro em caixa para maior patamar desde atentados de 11 de setembro

Preferência por dinheiro vivo coincide com enfraquecimento significativo das expectativas quanto aos lucros das empresas

4 min
Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h03
Nos EUA, esta pode ser uma década perdida para ações

Aumento de custos e aperto monetário devem pressionar margens de empresas dos EUA

4 min