Dinheiro com a morte: fundo imobiliário de cemitérios tem rentabilidade de 68% neste ano

No geral, alguns produtos tiveram desempenho acima de 20% só em maio

O que fazer com investimentos em caso de morte?
– Ilustração: Renata Miwa

Pontos-chave

  • Lucro veio tanto a valorização da cota, quanto do retorno do aluguel
  • Desde janeiro, 102 dos 192 fundos tiveram desempenho positivo

Um levantamento do consolidador de investimentos Smartbrain aponta que o fundo imobiliário de cemitérios Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11) teve uma rentabilidade de 68% no ano, no período de janeiro até o fim de maio. O desempenho positivo considera tanto a valorização da cota como o retorno do aluguel, que é uma espécie de dividendo distribuído regularmente aos cotistas.

Parte dessa variação ampla se explica pelo valor baixo da cota e uma liquidez menor do que a de outros ativos. A rentabilidade das cotas dos fundos são flutuantes e podem ficar negativas em determinados períodos. Para se ter ideia da volatilidade, com repetidas quedas nos primeiros dias de junho, a rentabilidade do CARE11 já caiu para 50% no ano.

Aliás, você sabia que a cota de um FII pode cair, enquanto a rentabilidade sobe, ou vice-versa? Leonardo Nascimento, sócio-fundador da Urca Capital Partners, explica por que isso acontece na Entrevista da Semana logo abaixo:

Qual foi a rentabilidade dos fundos imobiliários em maio?

Em maio, 47% dos fundos imobiliários tiveram um desempenho positivo, segundo o estudo da Smartbrain. Entram no estudo fundos com mais de três meses de existência e pelo menos 30 negociações no período do recorte. No mês, dois deles conseguiram um retorno superior a 20%.

O primeiro lugar no ranking de maio ficou com o Diamante (DAMT11B), que teve uma valorização de 26,67% e tem shopping e lojas na composição. O segundo lugar ficou com o Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11), com uma valorização de 22,25%. E o em terceiro ficou que investe em recebíveis, o Hectare CE FII (HCTR11), com alta de 8,38% no mês.

Desde janeiro, 102 dos 192 fundos tiveram desempenho positivo. De março de 2020, quando se iniciou a pandemia, até agora os fundos que tiveram melhor desempenho foram:

  • EUROPAR (EURO11): 43,47%;
  • CSHG Prime Offices (HGPO11): 38,54%;
  • Hectare CE FII (HCTR11): 36,65%.

Como o investidor percebe que a cota está valorizada??

A valorização de cotas só é sentida no bolso do investidor quando ele se desfaz delas e tem ganho sobre o preço inicial do investimento. Esse lucro é passivo de tarifa de Imposto de Renda, diferentemente dos ganhos de retorno de aluguel dos fundos, que são divididos entre os cotistas periodicamente.

Com conteúdo do site Valor Investe, um veículo Globo Notícias

A Inteligência Financeira é um canal jornalístico e este conteúdo não deve ser interpretado como uma recomendação de compra ou venda de investimentos. Antes de investir, verifique seu perfil de investidor, seus objetivos e mantenha-se sempre bem informado.

Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 19h10
S&P 500 registra pior primeiro semestre desde 1970, Nasdaq cai quase 30% no semestre

O índice Nasdaq, que reúne empresas não financeiras e as de tecnologia, caiu mais de 20% nos últimos três meses, seu pior desempenho desde 2008

Redação IF Publicado em 30.jun.2022 às 15h17
Dólar apaga ganhos e fica abaixo dos R$ 5,20

Moeda americana chegou a R$ 5,27 na máxima do dia