Conheça os ETFs de criptomoedas e veja se eles cabem na sua carteira

Analise as vantagens e desvantagens para saber se o ativo deve ou não fazer parte do seu portfólio

ETFs de Criptomoedas
– Ilustração: Marcelo Andreguetti/Inteligência Financeira

Pontos-chave

  • Novos no Brasil, estes fundos já movimentaram R$ 8 bilhões
  • Existem cinco fundos de índices de criptomoedas atualmente no país
  • São indicados para investidores mais arrojados, que correm alto risco em busca de rentabilidade

Em menos de um ano, os ETFs de criptomoedas já movimentaram R$ 8 bilhões e têm atraído a atenção do público interessado em entrar na criptosfera. Esses fundos investem em índices que mostram o desempenho de criptos como Bitcoin e Ethereum. Ou seja, é um investimento indireto nesses ativos. Mas será que eles caem bem na sua carteira?

Conheça os ETFs

Existem cinco fundos disponíveis na B3 que acompanham os índices de criptomoedas. Dois deles investem em Bitcoins, outros dois investem no Ethereum e outro acompanha um índice com uma ampla cesta de criptomoedas, mas com maior participação do Bitcoin. 

Fonte: Teva Indices

Mesmo para a corretora Mercado Bitcoin, que concorre com os ETFs por clientes, a chegada desses fundos faz bem para o setor e mostra aceitação do mercado. “Estamos falando sobre criptos desde 2013. Mas só agora a B3 traz validação do mercado, os reguladores estão aceitando melhor a ideia e os ativos estão crescendo”, afirma Fabricio Tota, diretor de Novos Negócios do Mercado Bitcoin. 

Vantagens 

Entre os pontos a favor dos ETFs de criptomoedas está a diversificação. O investimento em criptos é indicado para os investidores arrojados que buscam aumentar o patrimônio. Esses fundos podem ser vistos como uma porta de entrada para o mundo das moedas digitais. 

Dos cinco fundos de índices de criptomoedas disponíveis hoje na B3, o que traz maior diversificação é o HASH11. O ETF gerido pela Hashdex investe 63,6% de seu patrimônio em Bitcoin e 31,6% em Ethereum. Há ainda pequenas porções de investimentos em Litecoin, Chainlin, Bitcoin Cash, Uniswap, Flicoin e Stellar. Ou seja, comprando apenas um instrumento o investidor está exposto a várias criptomoedas. 

A segurança também é um ponto positivo dos ETFs de criptos. Enquanto as moedas digitais não são reguladas, os fundos de índice estão debaixo da supervisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Anbima. Quem quer investir diretamente em Bitcoin ou Ethereum precisa ser muito criterioso na escolha da instituição, já que está sujeito a fraudes.

Para quem não quer ter dor de cabeça na hora de declarar o Imposto de Renda, os ETFs facilitam a tarefa. Isso porque algumas exchanges (corretoras de criptomoedas) podem não fornecer relatórios, já que não são obrigadas a fazer isso. 

Desvantagens 

A maior desvantagem de investir em criptomoedas através de ETFs é limitar o horário de negociação. Enquanto a B3 permite a negociação das cotas dos fundos de segunda a sexta das 10h05 às 16h55, as criptomoedas têm negociação 24/7. 

Como são ativos muito voláteis e influenciados por declarações de famosos do mercado financeiro, as criptomoedas podem despencar ou ganhar preço de uma hora para outra. Ter seu horário de negociação limitado pode fazer o investidor perder o momento ideal de aumentar ou diminuir sua exposição a um ativo. 

Outro ponto que alguns investidores podem não gostar é não ter o controle da gestão nas mãos. Os investidores mais experientes tendem a se incomodar com isto. Muitos deles também querem fazer a custódia das criptomoedas, o que não é possível quando o investimento acontece via ETFs, já que não há a compra do Bitcoin ou Ethereum.


Você também pode gostar
Valor Econômico Atualizado em 15.maio.2022 às 07h37
Caso Terra aumenta preocupação de reguladores com ‘stablecoins’

Episódio ampliou temor com o risco de contágio entre setor, que movimenta de US$ 180 bi, e mercados tradicionais

4 min
Manhã Inteligente Publicado em 13.maio.2022 às 11h41
Fuga dos estrangeiros na B3, queda das criptomoedas, previsão do PIB

O Manhã Inteligente desta sexta (13), fala sobre a debandada de investidores estrangeiros da B3, a melhora na projeção do PIB e a queda generalizada das criptomoedas

Redação IF Publicado em 13.maio.2022 às 10h50
Bitcoin se recupera e volta a valer mais de US$ 30 mil

Melhora nesta sexta vem após abalo no mercado de criptomoedas

2 min
Redação IF Publicado em 12.maio.2022 às 08h08
Apenas três ETFs nacionais tiveram mais captação do que resgate em abril

O instrumento é tido como barato para diversificar a carteira

3 min
Diogo Rodriguez Atualizado em 09.maio.2022 às 17h06
O que dá para comprar com criptomoedas?

Hoje em dia, é possível comprar comida e ingressos para o cinema com as moedas digitais

Redação IF Atualizado em 09.maio.2022 às 07h08
Bitcoin atinge menor preço desde janeiro

Veja o que derruba a principal criptomoeda do mercado

2 min
Manhã Inteligente Publicado em 28.abr.2022 às 11h49 Duração 15 min.
Ganhos de mineração e siderurgia, regulação de criptomoedas no Brasil, PIB dos EUA

No Manhã Inteligente desta quinta (28), Isabella Carvalho e Victor Vietti falam sobre os setores de mineração e siderurgia, a regulação das criptomoedas no Brasil e o PIB dos EUA