Entenda o que é o crédito de carbono e como investir no ativo

No ano passado, esse mercado movimentou US$ 227 bilhões. Contrato futuro e crédito tokenizado são formas de investir

– Ilustração: Marcelo Andreguetti

Pontos-chave

  • Plataformas compram créditos de carbono de projetos ambientais e armazenam os ativos em uma carteira digital
  • É possível acessar fundos que investem no mercado futuro

Uma das principais discussões da COP26 é o mercado de crédito de carbono. A alternativa surge para incentivar setores da economia a diminuírem a emissão de gases de efeito estufa. Além disso, vai de encontro com a meta estabelecida pelo Acordo de Paris, que tem como objetivo reduzir a emissão de dióxido de carbono na atmosfera. De acordo com um relatório divulgado pela consultoria financeira Refinitiv, o mercado de crédito de carbono aumentou 20% em 2020, movimentando US$ 227 bilhões. 

“O mercado de carbono é uma área em ascensão no Brasil, já que muitas empresas estão preocupadas em neutralizar suas emissões. Aquelas que têm como propósito e cultura a redução da poluição podem emitir seus créditos por meio de selos e credenciais”, explica Bruno Vieira Lourenço, consultor de sustentabilidade da Grant Thornton. Segundo um estudo feito pela consultoria WayCarbon, o Brasil poderia oferecer cerca de 1 bilhão de toneladas de carbono nesse mercado até o fim da década, o que movimentaria cerca de R$ 100 bilhões.

Mas afinal, o que é um crédito de carbono?

Um crédito de carbono corresponde a uma tonelada de dióxido de carbono (CO2). Governos de vários países determinam metas de emissão de CO2 para setores específicos e suas empresas. Enquanto algumas conseguem atingi-las e até mesmo superar os números, outras não vão diminuir a poluição como o esperado. Dessa forma, empresas que poluem menos podem gerar créditos dessa “sobra” e vender para aquelas tem um nível de emissão alto e desejam compensá-lo. Esse é o mercado de crédito de carbono regulado. Existe também o voluntário, no qual empresas e pessoas compram créditos de projetos florestais e neutralizam suas emissões espontaneamente. No Brasil só há mercado de carbono voluntário.

Com metas cada vez mais agressivas quando o assunto é meio ambiente, a tendência é que o crédito de carbono fique cada vez mais caro. Em maio de 2018, um crédito custava cerca de € 16. Em abril de 2021, ultrapassou os € 46 euros – ou seja, teve uma valorização de mais de 187%. E é aí que o mercado financeiro se beneficia. 

Como investir?

Você pode acessar fundos que investem em ativos de crédito de carbono do mercado futuro. Hoje existem contratos para o mercado americano e europeu. Neste ano, o Brasil ganhou o primeiro fundo desse tipo, o Vitreo Carbono. Nesse caso, o investidor tem exposição a contratos futuros do carbono europeu. É possível investir a partir de R$ 100. Se você tem interesse em entrar no mercado, precisa lembrar que o investimento está exposto à moeda daquele país, ou seja, o retorno do fundo pode ser afetado de acordo com as flutuações do câmbio. 

Outra forma de investir é por meio de plataformas que vendem crédito de carbono tokenizado, como é o caso da fintech Moss. Investidores compram créditos de carbono de projetos ambientais certificados e armazenam os ativos em uma carteira digital. Quando decidem vender, a negociação é feita em uma exchange em um processo semelhante ao de criptomoedas, via blockchain

Bruno Lourenço, da Grant Thornton, acredita que o carbono não é o ativo do futuro, mas do presente. “Esse mercado está muito ligado à transformação cultural das empresas. São atitudes reconhecidas pelo mundo todo. Hoje o investidor quer mais do que um produto, quer ver o impacto que ele causa na sociedade como um todo. Empresas que não fizerem esse caminho vão ficar para trás.” 


Você também pode gostar

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 09h26

CVM suspende corretoras; saiba como escolher empresas idôneas

Sete empresas não tinham autorização para estar no mercado: Raw Trading, International Capital Markets Pty, IC Markets (EU), Markets, KOI Global LLC, Ventura Group e Orotrader

3 min

Valor Econômico

Publicado em 26.jan.2022 às 08h18

Estrangeiro já pôs R$ 20 bilhões na Bolsa em 2022

Com ajuda de cenário externo, fluxo está positivo no ano

9 min

Lucas Andrade

Atualizado em 26.jan.2022 às 07h55

Como a tensão entre Rússia e Ucrânia pode afetar a economia e os investimentos

A deflagração de um confronto militar entre os dois países pode piorar principalmente o cenário para a inflação na Europa

3 min

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h00

Afinal, o que dizem os especialistas sobre a Bolsa? Você deve comprar ações ou esperar mais um pouco?

O Ibovespa deve subir, mas com fortes emoções; veja o que levar em consideração

8 min

Glossário IF

Atualizado em 25.jan.2022 às 15h30

ESG: que significa e como isso afeta seus investimentos

A sigla ESG em português quer dizer governança social e corporativa. Como isso pode afetar seus investimentos?

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h10

Estudo traça perfil do investidor em Tesouro Direto; conheça o ativo

16,3 milhões de pessoas investem nos papéis do governo

4 min

Leonardo Guimarães

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h35

Como investir no metaverso?

O metaverso não está distante de você ou da sua carteira; entenda como fazer dinheiro com ele, mas saiba que o risco de perder capital é grande

4 min

Valor Econômico

Atualizado em 24.jan.2022 às 18h02

Ações de tecnologia caem e Warren Buffett volta aos holofotes com investimentos em ativos “de valor”

Com foco em ativos “de valor”, Berkshire Hatthaway se aproxima do desempenho de fundo do Ark Invest que foi sensação na pandemia

5 min

Redação IF

Publicado em 24.jan.2022 às 14h30

Nunca tantos investidores compraram debêntures incentivadas; entenda como funcionam os títulos de dívidas privadas

Os título incentivados, voltados para obras de infraestrutura, captaram R$ 47,2 bilhões

3 min

Redação IF

Atualizado em 24.jan.2022 às 08h09

Política monetária nos EUA domina atenções da semana

Para tentar controlar a inflação dos EUA, o banco central americano sinaliza o retorno da alta nas taxas de juros – analistas avaliam o impacto na Bolsa brasileira e no dólar

3 min

Mais lidas hoje

  1. Redação IF

    Redação IF

    Atualizado em 26.jan.2022 às 11h26
    Ferramenta lançada pelo Banco Central permite saber se você tem dinheiro a receber dos bancos

    Segundo o BC, há ao menos R$ 8 bilhões parados nas instituições financeiras – conheça o passo a passo para fazer a consulta e saber se você é credor

  2. Redação IF

    Redação IF

    Atualizado em 22.jan.2022 às 12h01
    Neymar compra NFTs por R$ 6 milhões; saiba como funciona esse investimento

    Craque passa a fazer parte de um clube restrito a bilionários, que têm direito a festas particulares

  3. Valor Econômico

    Valor Econômico

    Publicado em 24.jan.2022 às 08h37
    Cade dá aval para Joesley e Wesley Batista assumirem controle da J&F Participações

    A J&F é a controladora do Banco Original do Agronegócio e do Banco Original

  4. Valor Econômico

    Valor Econômico

    Atualizado em 07.jan.2022 às 08h27
    Conheça os fundos de investimento que lucram milhões com shows de artistas adorados pelo público

    Saiba quem são os gestores (e como são remunerados) por trás de nomes como Gusttavo Lima, Seu Jorge, Alexandre Pires, Maurício Manieri e Daniel