Como funcionam os robôs que investem por você?

Inteligência artificial e ciência de dados podem te ajudar a investir melhor

Algoritmos e Investimentos
– Ilustração: Marcelo Andreguetti/IF

Pontos-chave

  • Robôs de investimentos precisam ser autorizados pela CVM para operar
  • Mantenha a sua carteira diversificada, diversificando, inclusive, seus robôs

Robôs de investimentos são tecnologias baseadas em algoritmos que podem ser programados para gerir o patrimônio de investidores, recomendar uma carteira de ativos ou definir o momento de vender ações, entre várias outras aplicações.

Criados no final da década de 1990, esses robôs eram o braço operacional da Bolsa de Valores para gerir o enorme volume de dados das transações. Hoje, embora essa faceta operacional tenha dado lugar à inteligência artificial (IA), ao aprendizado de máquinas (machine learning) e à ciência de dados (data science), os robôs seguem operando como instrumento.

A diferença é que, agora, com potencial de gerar mais rentabilidade ao investidor, já que suas decisões não levam em conta fatores emocionais como medo e ansiedade, e são baseadas em estratégias predefinidas que analisam, em tempo real, todas as variáveis do mercado. Sim, um trabalho virtualmente impossível para nós, meros mortais.

Segundo o Portal do Investidor, da CVM, existem duas categorias de robôs: os advisors, subdivididos em robôs de gestão e robôs consultores, e os robôs traders. Quem deseja operar com o advisor precisa responder a um questionário para determinar seu perfil de investidor, além de listar objetivos e expectativas de resgate. A partir dessas informações, o robô processa os dados por meio de algoritmos e oferece as opções de carteiras mais adequadas. “Nessa modalidade”, de acordo com a CVM, “o cliente é o responsável pela implementação”.

Assim, quem deve realizar a compra e venda dos ativos e fazer o rebalanceamento da carteira é o próprio investidor, podendo utilizar sua corretora preferida”. Atualmente, instituições financeiras operam em parceria com esses robôs, oferecendo produtos em que a criação da estratégia e a movimentação no pregão é feita por investidores com larga experiência no mercado.

Já o robô gestor “não apenas recomenda uma carteira, como é o responsável por fazer os investimentos e balanceá-la automaticamente.” explica o Portal do Investidor.

Robôs criam estratégias de investimento

Quem prefere lidar com riscos ainda mais altos e, consequentemente, tentar ter maior rentabilidade (ou perdas, é bom lembrar), pode escolher o robô de ordens, que cria estratégias de investimento buscando oportunidades de rendimentos com a flutuação do valor dos ativos negociados na Bolsa. É o próprio robô que determina o momento de entrar ou sair de posições e enviar ordens de cancelamento automaticamente.

É seguro investir com a ajuda de robôs?

Se o que você leu até aqui fez seus olhos brilharem como uma possível solução para todas as dificuldades e desafios que você enfrenta como investidor, é importante dar dois (ou dez) passos atrás e entender, de fato, o que a inteligência artificial pode oferecer. Primeiro fato: na essência, os robôs seguem como ferramentas, o que significa que alguém – no caso, você ou um investidor profissional – precisa saber operá-la. É como se diz no mercado financeiro: o robô só será vencedor se a estratégia for vencedora. Segundo fato, e esse vale para a vida: não existem garantias de rentabilidade na renda variável. Terceiro fato: existem fraudadores prontos para enganar os menos informados em todos os setores e com os robôs de investimentos não é diferente.

Portanto, fique atento a essas dicas:

  • Robôs de investimentos precisam ser autorizados pela CVM para operar e podem ser oferecidos por startups do mercado financeiro, bancos e corretoras.
  • Eles não fazem milagres. Expressões como “ganhos espetaculares”, “fique rico em poucos dias”, “rentabilidade garantida” ou qualquer coisa que não pareça razoável indicam que você está diante de uma roubada.
  • Não delegue a responsabilidade sobre seus investimentos a outras pessoas ou tecnologias. Informe-se, prepare-se e tome decisões embasadas em dados confiáveis.
  • Mantenha a sua carteira diversificada, diversificando, inclusive, seus robôs.

Com conteúdo do g1.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 10h10
Ibovespa tem tendência de queda com inflação e Petrobras se mantendo no radar

Investidores aguardam a divulgação da ata da última reunião do Fed

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h55
Inflação: pequenas mudanças driblam a disparada dos preços

Com regras simples, você vai tomar as melhores decisões para o seu bolso

Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF

Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h00
Nubank renova mínimas históricas e já vale menos que o BTG. Efeito colateral do fim do lock-up?

Valor de mercado do Nubank corresponde a menos de um terço do Itaú, que vale US$ 48,8 bilhões; no IPO em dezembro, o Nubank estreou com valor de US$ 41,5 bilhões

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 11h20
Dólar inverte sinal e passa a cair abaixo de R$ 4,80

Moeda americana era negociada a R$ 4,78 na mínima do dia

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 10h23
Presidente do Bradesco diz que inflação deve começar a ficar ‘mais controlada’ a partir de 2023

Octavio de Lazari Junior acredita também que a taxa de juros 'só poderá ser reduzida no ano que vem'

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 07h56
Citi: nova troca cria riscos na estratégia de longo prazo da Petrobras

Banco destaca em relatório uma 'significativa interferência externa' na empresa