Já pensou em investir no Cachorro Caramelo? Pois agora é possível: ele virou NFT

Neste ano foram vendidos 1.200 NFTs do cãozinho virtual; parte do lucro é doada

Ilustração: Marcelo Andreguetti/IF

Pontos-chave

  • Vendas equivalem a 20 ethereum ou R$ 300 mil
  • Doação já chegou em R$ 44 mil

Quando a cédula de R$ 200 foi lançada pelo Banco Central, grupos na internet brincavam com a possibilidade de que o famoso e típico “Cachorro Caramelo” estampasse a nova nota. Caramelo é o nome genérico para um cachorro comum, desses que você encontra aos montes pelas ruas: tem pelo claro, late com alegria, brinca com qualquer pessoa, corre atrás de moto e adora as crianças. Mas na nota de R$ 200 quem aparece é o lobo-guará.

Cachorro caramelo ganha fama no mundo virtual

O brasileiríssimo Caramelo ganhou ainda mais fama e se tornou um projeto de NFT com mais de 10 mil versões colecionáveis. Criada pelo engenheiro Walysson Silva e pelo designer Rodrigo Miro, a Caramelo Club NFT foi inspirada no meme da cédula. As vendas começaram neste ano e o time que coordena o projeto já vendeu cerca de 1.200 NFTs, o que equivale a cerca de 20 ethereum ou R$ 300 mil. Uma parte da arrecadação vai para ONGs que cuidam de animais abandonados.

NFT do cachorro caramelo já doou R$ 44 mil

A Caramelo Club nasceu não só com o propósito de lucrar, mas de reunir uma comunidade em torno da causa animal. “Queríamos fazer algo diferente, em que a gente conseguisse ajudar o mundo de alguma forma”, explica Walysson Silva. “Então surgiu a ideia de criar uma coleção e percebemos que não havia nada que representasse o Brasil. O que há é sempre muito voltado para o público internacional, nada que represente muito nossa cultura”, afirma.

Até então, o projeto já doou cerca de R$ 44 mil para 2 mil animais em 6 ONGs, garantindo alimento, abrigo e remédios para caramelos de todos os tons. Para rastrear as instituições, o projeto organiza um cadastro de ONGs, contabiliza a quantidade de animais em cada uma e pondera as doações a partir disso. A empresa está traçando o objetivo de fazer uma rotatividade pelo Brasil em cada Estado, estabelecendo um ciclo para distribuir as doações.

Beco da Matilha, local de encontro dos Caramelos

Imagem: Reprodução

No site do Caramelo Club há um link que leva a um ambiente virtual onde cachorros caramelos virtuais se encontram e interagem entre si. Por enquanto, esse ambiente é apenas uma representação do que no futuro virá a ser encontros de investidores do NFT no metaverso.

Imagem: Reprodução

Reunião de investidores do Caramelo

Atualmente, os encontros entre os investidores acontecem em um canal na plataforma Discord. “Sendo holder, você consegue ter mais acesso a um networking maior, com mais recursos dentro do Discord e também a ter uma postura mais ativa dentro da comunidade no sentido de ir direcionando para onde o projeto está indo, fazer parte da própria construção do futuro da Caramelo Club”, afirma Walysson.

No longo prazo, os desenvolvedores do projeto também miram na ambiciosa Web3, um novo estágio da internet em que a comunicação, transações e produção de conteúdos on-line se dariam de forma independente ou descentralizada – ou seja, sem a necessidade da influência, do intermédio e do fornecimento de dados para grandes companhias como Google e Meta.

Como investir no NFT do Cachorro Caramelo

A plataforma da Caramelo Club disponibiliza a compra de 10 mil NFTs colecionáveis pelo blockchain Ethereum. Para isso, o usuário deve ter uma carteira que seja compatível com o padrão non-fungible token (sigla para NFT), ou Token não Fungível, na rede Ethereum. Todas as transações são gerenciadas por lá. É preciso ficar atento pois não é possível desfazer ou restaurar nenhuma transação no blockchain. O Caramelo mais barato custa por volta de R$ 137.

Quais são os riscos de investir em NFTs do Cachorro Caramelo?

Para Rodrigo Miro, o projeto busca investidores que acreditem na causa animal. “A gente não quer que as pessoas comprem só por comprar, a gente tem muito essa ideia de querer fazer algo maior e não só gerar lucro”, ele afirma. O objetivo de ajudar a financiar e buscar soluções para o longo prazo sobre como as instituições que cuidam de animais podem se manter é, para os criadores da Caramelo Club, o pilar central por trás do projeto.

De todo modo, NFTs são investimentos com elevada volatilidade e são mais indicados para investidores arrojados. Os analistas recomendam que a carteira do investidor que deseja entrar nessa seara seja composta por até 5% de NFTs. Embora seja comum que os preços dos tokens despenquem de um dia para o outro, Walysson acredita que “se você tem uma porcentagem da carteira que está disposta a correr mais risco em um ativo com potencial de valorização, pode compensar muito, então acho que vale a pena diversificar”.

A Inteligência Financeira é um canal jornalístico e este conteúdo não deve ser interpretado como uma recomendação de compra ou venda de investimentos. Antes de investir, verifique seu perfil de investidor, seus objetivos e mantenha-se sempre bem informado.

Colaborou Anne Dias