Brasileiros parcelam Pix em 2,4 vezes em média

60% das transações são de até R$ 200

Pagamentos online, pix, transações online, open banking
– Ilustração: Marcelo Andreguetti

Pontos-chave

  • Clientes buscam a solução para situações emergenciais
  • Mesmo sem o valor disponível, usuário pode parcelar o pagamento em até 12 vezes

A Digio, plataforma de serviços financeiros, realizou um levantamento do comportamento da base de clientes com a conta digital. Os dados revelam informações sobre uso da conta para pagar o cartão de crédito e liberar o limite do cartão de crédito, rendimento e dados sobre o parcelamento do Pix.

O Pix parcelado funciona assim: mesmo que o cliente não tenha o valor disponível na conta, é possível realizar a transação, dividindo o valor em até 12 parcelas. De acordo com a pesquisa realizada, as pessoas usam o Pix dividindo o pagamento em 2,4 vezes, em média.

Quanto as pessoas parcelam no Pix?

De acordo com a pesquisa, cerca de 60% das transações parceladas do Pix são valores de até R$ 200. A função pode ser usada para pagamentos de R$ 50 até R$ 3 mil e pode ocupar até 40% do limite da fatura do cartão de crédito. Marcelo Scarpa, diretor-executivo do banco, afirma que o parcelamento foi rapidamente adotado entre os clientes por sua facilidade e instantaneidade, representando um ticket médio de R$ 240. “Os clientes buscam essa solução para realizar pagamentos ou situações emergenciais que liberam valores instantaneamente”, finaliza Scarpa. O limite do cartão de crédito é importante para os clientes, seja para fazer as compras do cotidiano ou para parcelar compras maiores.

Clientes buscam praticidade

Segundo o levantamento, 83% dos clientes usam o próprio saldo da conta digital para pagar a fatura do cartão e liberar o valor do limite na mesma hora. Segundo Scarpa, esse indicador reflete a busca dos clientes por praticidade para novas compras. “No pagamento via boleto, o tempo de compensação é maior e muitos clientes preferem liberar o limite do cartão rapidamente para realizar compras do mês ou um novo parcelamento, por exemplo”, comenta.

A conta digital da fintech tem rendimento de 100% do CDI e possibilidade de resgate diário. De acordo com o diretor, o rendimento se tornou ainda mais atrativo recentemente com a alta da Selic. “O tempo médio que os clientes deixam valores rendendo é de 45 dias e o depósito que registrou mais tempo sem resgate foi de 605 dias. O maior valor unitário pago em rendimentos foi mais de R$ 17 mil”, diz Scarpa.

Com conteúdo do site Valor Investe, um veículo Globo Notícias


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 09h28
Rio ou São Paulo: onde o aluguel é mais barato?

Se for para investir, cuidado. Até a poupança tem rentabilidade melhor do que a locação

3 min
JOTA Publicado em 11.maio.2022 às 14h57
Bolsonaro merece continuar na Presidência? Mais da metade dos brasileiros diz que não

Proporção dos que responderam de forma negativa sobre segundo mandato foi de 62% em abril e caiu para 58% em maio

2 min
Isabella Carvalho Atualizado em 12.maio.2022 às 11h28
Pix parcelado: vale a pena usar?

Conheça a funcionalidade e as taxas cobradas, e saiba se a novidade é uma cilada

3 min
Leonardo Guimarães Atualizado em 06.maio.2022 às 20h02
Medo de ter o celular roubado? Veja 9 dicas para proteger suas contas bancárias

Simples ações podem reduzir seu prejuízo, caso você seja vítima de criminosos

7 min
Redação IF Publicado em 06.maio.2022 às 14h49
Ilan Goldfajn, ex-presidente do BC: ‘moeda digital torna dinheiro mais inclusivo’

Tecnologia pode tornar o sistema mais barato, avalia ex-chefe da autoridade monetária

3 min