Dividendos podem ser boa estratégia para 2022; veja calendário de pagamentos

Petrobras tem distribuído alta remuneração aos acionistas por causa da valorização das commodities, e feito pode se repetir no próximo ano

Pontos-chave

  • Com a valorização das commodities, Vale e Petrobras são as maiores distribuidoras de lucro este ano
  • Os especialistas ressaltam, porém, que investir com foco em dividendos é uma estratégia de longo prazo e que o calendário de pagamentos não deve basear as compras e vendas do papel

Enquanto a Bolsa de Valores amarga perdas neste ano, o alto pagamento de dividendos e JCP (juros sobre capital próprio) chama a atenção. Com a valorização das commodities, Vale e Petrobras são as maiores distribuidoras de lucro este ano e, segundo analistas, o feito pode se repetir em 2022, ano em que a eleição, a alta de juros e a desaceleração econômica devem impactar negativamente o mercado de ações.

“No ano que vem [o dividendo da Vale] vai ser muito forte também. O setor de mineração e siderurgia mudou de patamar com a alta do aço e do minério, o que levou as empresas a reduziram seu endividamento, o que abriu caminho para dividendos muito altos”, afirma Paulo Battistella Bueno, sócio e gestor da Santa Fé.

Segundo Bueno, empresas da União como Petrobras e Banco do Brasil também devem continuar pagando altos dividendos, já que o Estado, como acionista majoritário, se beneficia dos recursos.

Grandes bancos são outra aposta de bons dividendos, apesar de não estarem em seu auge da distribuição de lucro. “Os bancos não estão no nível de 2018/2019, quando Itaú distribuía 90% do seu resultado, porque estão equacionando o Índice de Basileia”, diz Bueno. O Índice de Basileia é uma regra contábil para instituições financeiras equilibrarem patrimônio e risco.

As empresas de distribuição e transmissão de energia também são tradicionais pagadoras de dividendos. “Elas oscilam menos que o mercado no geral, para mais e para menos, e pagam dividendos muito altos”, afirma o gestor.

Dentre as empresas recomendadas por Bueno estão Taesa (Transmissora Aliança de Energia Elétrica) e Cesp (Companhia Energética de São Paulo).

O caixa destas companhias pouco oscila ao longo dos anos, com uma margem financeira praticamente fixa, o que garante o pagamento regular de dividendos.

“Essas empresas com forte geração de caixa são boas para se posicionar em cenários de alta volatilidade. A estratégia de dividendos é uma opção mais conservadora”, diz Matheus Amaral, analista do banco Inter, que também recomenda Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), BB Seguridade e Gerdau.

Os especialistas ressaltam, porém, que investir com foco em dividendos é uma estratégia de longo prazo e que o calendário de pagamentos não deve basear as compras e vendas do papel, já que o dividendo é descontado do preço das ações na chamada “data ex”.

Porém, uma vez que tem as empresa na carteira, o investidor deve ficar atento ao calendário de pagamentos, já que o dinheiro cai automaticamente em sua conta da corretora. Para não deixá-lo parado, é importante se programar.

Confira os principais pagamentos de dividendos programados para os próximos dias:

Quarta-feira (15/12): Blau, CCR, Carrefour, Iguatemi, Petrobras, Raia Drogasil, Schulz

Quinta-feira (16/12): Cury, Ferbasa, MRV

Sexta-feira (17/12): Unifique


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras

2 min
Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 13h41
Bolsas americanas perdem US$ 1,5 tri em um dia, e índices operam em queda nesta quinta

Temor de inflação global maior e recessão nos EUA leva nervosismo aos mercados. Na Europa, pregões operam em queda de mais de 2%

1 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

3 min
Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

3 min