Tipos de Renda (1)

Independência financeira tem a ver com tipo de renda. Você sabe se é financeiramente independente pelo tipo de renda que você aufere. Sob o ponto de vista da independência financeira, podemos classificar os tipos de renda em dois grupos: Renda Laboral e Renda Não Laboral.

1 – Rendas laborais

Renda laboral é aquela que depende do trabalho. Deriva sempre se alguma forma de trabalho físico e presencial: salários, comissões, honorários, pró-labore, abonos, licenças-prêmio etc. Vale transporte e vale alimentação também são rendas que dependem do fato de você estar trabalhando, portanto, podem ser consideradas rendas laborais. A renda laboral pode ser classificada em dois tipos: renda de empregado e renda de autônomo.

Renda de Empregado

É a renda do assalariado. Não importa se é servidor público ou empregado de empresa privada.

A renda de Empregado é uma renda laboral. Para recebê-la é preciso trabalhar e estar presente fisicamente. Observe que a renda do Empregado é uma renda dependente:

Depende do empregador que decide quem vai contratar, quando vai contratar e demitir, o valor do salário e as promoções.

Depende de si: ter competência e capacidade para conseguir e manter o emprego. Isso vale tanto para o operário quanto para o presidente da empresa.

Renda de Autônomo

Renda de Autônomo também é laboral e, por isso, dependente. A pessoa precisa estar presente para a renda ser gerada.

Depende de si para manter e conquistar clientes e administrar o negócio. É bom lembrar que pequenos empresários são equiparados a autônomos, pois o negócio não sobrevive se eles não estiverem presentes. Assim, parte da renda do micro ou pequeno empresário também é laboral.

Depende do próprio trabalho. Não podem faltar ou ficar doentes. Não têm benefícios trabalhistas. Os rendimentos são irregulares. Precisam ser especialistas e muito competentes. São ao mesmo tempo empregado e empregador.  Na verdade, os autônomos são menos independentes do que os empregados, pois estes continuam recebendo quando tiram férias ou ficam doentes, enquanto os autônomos param de receber.

(Continua no próximo texto)

(Extraído do Livro Os 7 hábitos das pessoas financeiramente felizes“)