Três passos para se tornar um poupador

Poupar é a chave-mestra do sucesso financeiro. Todos sabemos da importância de reservar uma parte da nossa renda para poupar e investir. As pessoas financeiramente felizes e bem sucedidas pogastam menos do que ganham e guardam uma boa parte da sua renda. É um grande desafio, pois estamos habituados a gastar antecipado. Como mudar esse hábito?

Para começar é preciso entender a diferença entre poupar, economizar e investir. Economizar é evitar gastos. Fazemos isso, normalmente, para manter as contas em ordem ou para superar crises financeiras. Economizar diz respeito a resolver problemas, evitar situações de desconforto e dificuldades. É claro que evitando gastos teremos mais dinheiro para poupar. Mas poupar, tem outro enfoque.
Poupamos para realizar sonhos. O objetivo não é superar crises financeiras, mas realizar projetos. Essa diferenciação é importante, pois dela depende a manutenção da motivação.

Há mais um conceito importante: investimento. Poupança não é investimento (mesmo que haja bons rendimentos). De um forma simples, podemos dizer que poupamos para guardar e acumular recursos financeiros e investimos para ganhar dinheiro, aumentar nossa riqueza. No investimento há a perspectiva de grandes rendimentos e, consequentemente, grandes riscos. Na poupança, os rendimentos são menores e visam basicamente a manter o poder aquisitivo. Os riscos, porém, são pequenos.

Quando se diz “poupança”, não se refere à caderneta de poupança. Outros tipos de aplicações financeiras também podem ser consideradas poupanças, como os fundos de renda fixa, CDB, fundos de aposentadoria, etc. É difícil acumular grandes riquezas aplicando em poupanças. Mas você pode usar essas aplicações para realizar seus sonhos.

Para finalizar, é sempre bom lembrar que você só se tornará um poupador e investidor se poupar ao menos um pouco de dinheiro. Mas, como poupar quando não sobra nada? Quando se está cheio de contas a pagar? O que fazer?

Comece já

A primeira estratégia para se tornar um poupador é COMEÇAR AGORA. Se você está cheio de dívidas e com todo o orçamento comprometido, é quase certo que não poderá poupar quanto gostaria. E essa é uma das razões pelas quais as pessoas não poupam. Mas você precisa começar agora.

Abra uma caderneta de poupança. Não adianta guardar o dinheiro em casa. Nem é preciso tem uma quantia razoável para abrir uma conta de poupança. Há instituições financeiras que aceitam depósitos iniciais de qualquer valor.

Comece depositando o equivalente a 1%. Isso mesmo: apenas 1%. Mas tem que ser da renda bruta, pois se você tem uma lista de prestações de empréstimos no seu contracheque, estará enganando a si mesmo. Por isso tem que considerar a renda bruta. Se você achar que 1% é muito, o que eu duvido, comece com 0,5%.

No mês seguinte, deposite 2% da sua renda bruta (se começou com 0,5%, você pode depositar 1% ou 1,5%). É Importante que você decida uma estratégia. Se você decidiu aumentar 1% ao mês, mantenha a disciplina até chegar ao percentual que você considera adequado. Não aumente e, principalmente, não diminua. A não ser que você receba uma grana extra. Neste caso, você pode aplicar uma parte ou o valor total.
Depois de um ano, você estará poupando 12% da sua renda bruta, sem nenhuma dificuldade. Você conseguirá isso porque parou de comprar no crediário e, provavelmente, as prestações pendentes já foram pagas. Suas prioridades mudaram e você já está habituado a poupar. É provavel que você nem pare nos 12% e acabe descobrindo que pode poupar 20% ou 30% da sua renda bruta. Afinal você comprometia bem mais que isso com prestações, não é?

Esta é a primeira estratégia para tornar-se um poupador: COMECE HOJE.

Poupar primeiro

A segunda estratégia para tornar-se um poupador é Poupar em primeiro lugar. Se você deixar para poupar o que sobra no final do mês, não vai sobrar e você nunca terá dinheiro guardado. O segredo é separar uma parte da sua renda antes de começar a pagar as contas. Assim que receber o seu salário, ou qualquer renda, aplique imediatamente a parte que você decidiu poupar. Se você recebe salário e está com o orçamento comprometido com prestações, comece com pouco e vá aumentando todos os meses. É importante manter a disciplina, poupando todos os meses e em primeiro lugar. Também é imprescindível não ceder à tentação de retirar o dinheiro da poupança quando surgir uma dificuldade.

Se receber alguma renda extra, como abono ou comissão, aplique toda a importância. Isso evitará que você caia na tentação de gastar com algo não planejado. Depois você decide como calma o que vai fazer.

Automatizar

A terceira estratégia é automatizar sua poupança. Autorize a transferência da sua conta corrente diretamente para sua conta de poupança ou investimento. A maioria dos bancos tem um serviço gratuito de transferência automática, que você pode programar para ser realizado determinado dia do mês.

Automatizando você não correrá o risco de esquecer ou ficar com preguiça. É complicado quando você tem que ir ao banco fazer a transferência. Para facilitar, automatize. Se a empresa em que você trabalha possui o plano de previdência próprio, considere a possibilidade de investir o máximo que puder, e autorize a transferência diretamente do seu contracheque.

Uma das grandes vantagens de automatizar é que você não gasta aquilo que não vê. Se você sabe que tem dinheiro disponível, acaba gastando. Como você faz uma reserva automática, acaba adaptando seus gastos àquilo que sobra.

Outra vantagem interessante é que, automatizando, você estará usando a mesma estratégia de quem autoriza o débito de prestações de empréstimos no contracheque ou conta corrente. Só que neste caso, você estará pagando à si mesmo, em vez de pagar aos outros.

Resumindo, são três as estratégias que você deve usar para se tornar um poupador:
1) Começar já;
2) Poupar em primeiro lugar;
3) Automatizar.

© Nério Venson