Trinta por cento?

Quanto de sua renda você pode comprometer com pagamento de prestações?

Você já deve ter ouvido – ou lido em algum livro ou jornal – muitas vezes para não comprometer mais que 30% da renda com dívidas. Sinceramente, não sei de onde saiu esse número “mágico”. Mas isso não vem ao caso.

Há duas coisas importantes quando se pensa sobre isso.

1) Desses 30%, uma boa parte são juros. Dependendo do tipo do financiamento, do prazo e da taxa, pode ir de 10% a mais de 20%. Ou seja, se você tem o hábito de comprar em prestações, você está gastando desnecessariamente com juros. Então, essa história de apenas comprometer “X” por cento precisa ser vista com cuidado. Se mais que 30% é ruim, menos que isto é bom? É claro que não! Nenhum percentual é bom quando se trata de desperdício de dinheiro com juros. O melhor, mesmo, é sempre poupar para comprar á vista.

2) E esse é o segundo ponto. Como digo sempre, e repetirei sempre, se você consegue pagar prestações, então conseguirá poupar – o valor das prestações – para comprar à vista e realizar seus sonhos. Se você consegue reservar quase 1/3 do seu salário para pagar prestações, certamente não terá dificuldade em depositar em uma poupança para comprar o que precisa à vista. É engraçado as pessoas dizerem que “não conseguem guardar dinheiro se não tem um dívida para pagar”. Ora, faça uma dívida com você! E você ainda vai receber juros em vez de pagar. Simples assim!

Se você comprometer menos de 30% da sua renda com prestações, pode ser que consiga manter seu orçamento equilibrado e conseguirá pagá-las (o que deixará seus credores tranquilos). Mas você continuará comprando menos e reduzindo sua qualidade de vida. Então, bom mesmo é não ter nenhuma prestação.

Planeje, poupe e compre à vista. Comece abrindo uma conta de poupança ou investimento.

© Nério Venson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *